Observação de satélites

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Exposição de longa duração de passagem da Estação Espacial Internacional

Observação de satélites ou localização de satélites é um hobby que consiste na observação e rastreamento de satélites artificiais que orbitam a Terra .[1] As pessoas que praticam esse hobby são chamadas de observadores de satélite, rastreadores, ou observadores. Como os satélites fora da sombra da Terra refletem a luz do sol, aqueles em órbita baixa da Terra podem visivelmente brilhar enquanto atravessam o céu do observador, geralmente durante o crepúsculo.

História[editar | editar código-fonte]

A detecção amadora de satélites remonta aos dias dos primeiros satélites artificiais, quando o Observatório Astrofísico Smithsonian lançou o programa Operação Moonwatch em 1956 para registrar astrônomos amadores em um dos primeiros esforços de ciência cidadã para rastrear satélites sputniks soviéticos.[necessário esclarecer][2] O programa foi um análogo ao programa de observação cidadã Ground Observer Corps que existiu durante a Segunda Guerra Mundial para observar bombardeiros inimigos.[3] A operação Moonwatch perdeu sua relevância a partir da instalação de estações profissionais em 1958. O programa foi descontinuado em 1975.[4]

À medida que a revolução digital avançou nos anos 2000, surgiram muitos planetários e programas de computador de rastreamento de satélites surgiram em sua detecção.[1] Nos anos 2010, acompanhados pelo desenvolvimento de tecnologias de realidade aumentada (AR), foram desenvolvidos programas de observação de satélites para dispositivos móveis.[5]

Observação[editar | editar código-fonte]

A observação de satélites é geralmente feita a olho nu ou com o auxílio de binóculos, já que a maioria dos satélites de órbita terrestre baixa se move muito rapidamente para ser rastreada facilmente por telescópios. Por outro lado, é esse movimento dos satélites em suas passagens pelo céu noturno que os torna relativamente fáceis de ver. Já os satélites geossíncronos, por não se moverem em relação ao visualizador,[6] podem ser difíceis de encontrar e geralmente não são procurados quando se está observando satélites.[7]

Como em qualquer hobby de observação do céu, quanto mais escuro o céu, melhor; desta forma, observadores têm mais sucesso longe das áreas urbanas poluídas pela luz.

Embora, para o observador, os satélites em órbita terrestre baixa se movam a uma velocidade aparente semelhante a de uma aeronave comercial, nem todos se movem na mesma velocidade e satélites individuais podem ser mais rápidos ou mais lentos. Eles podem ser diferenciados de aeronaves porque os satélites não deixam rastros e não possuem luzes vermelhas e verdes de navegação. Satélites individuais também nunca variam de velocidade ou direção.[8] Eles são iluminados apenas pelo reflexo da luz solar em seus painéis solares ou outras superfícies. O brilho de um satélite pode mudar à medida que se move pelo céu. Ocasionalmente, um satélite pode "brilhar" conforme muda de orientação relativa ao espectador, aumentando repentinamente sua refletividade. Satélites costumam ficar mais escuros e mais difíceis de observar próximos do horizonte.[1] Como a reflexão da luz solar é necessária para a observação de satélites, os melhores períodos de observação são por algumas horas imediatamente após o anoitecer, ou algumas horas antes da alvorada. Dado o número de satélites atualmente em órbita, em uma sessão de observação de quinze minutos geralmente é possível observar pelo menos um satélite passando acima.

Referências

  1. a b c «Satellite Watching». hobbyspace.com. 2013 
  2. «Operation Moonwatch Begins». Siris-sihistory.si.edu. 1957. Torch, 9/1956, p. 1, Annual Report of the Smithsonian Institution for the year 1957, p. 8, 74 
  3. "Smithsonian Astronomers Keep Hectic Pace", a 1957 article
  4. «Remembering "Project Moonwatch"». Sky & Telescope 
  5. "Satellite Augmented Reality" Arquivado em 2016-03-05 no Wayback Machine iPhone Satellite Augmented Reality
  6. "Geostationary orbit" at Wikipedia.com
  7. "Observing Geostationary Satellites" Arquivado em 2014-10-08 no Wayback Machine at Satobs.org
  8. "Three classes of orbit" Arquivado em 2014-08-16 no Wayback Machine at Nasa Earth Observatory

Ligações externas[editar | editar código-fonte]