Otto Flake

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Otto Flake

Otto Flake (Metz, 29 de outubro de 1880-Baden Baden, 10 de novembro de 1963) foi um historiador e escritor alemão.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cursou o ensino médio em Colmar e depois o superior em Estrasburgo Língua Alemã, Filosofia e História da Arte. Seu primeiro trabalho foi em Paris e Berlim, onde foi colaborador regular do jornal Neue Rundschau, sendo um dos autores mais lidos durante a República de Weimar. Nesta época realizou muitas viagens, que publicou em coletânea em 1917.

Durante a Primeira Guerra Mundial Flake trabalhou na administração civil, em Bruxelas. No começo de 1918 transferiu-se para o Deutsche Allgemeine Zeitung, como diretor, por breve período. Contrário à guerra, estabeleceu-se em Zurique, onde juntou-se ao círculo dos dadaístas. A partir de 1928 mudou-se com a família para Baden-Baden.

Escreveu sobre ele Tucholsky que era um dos maiores ensaístas alemães, ao lado de Heinrich Mann, e Stefan Zweig teceu-lhe elogios.

Em 1933 Flake foi o 22º subscritor das 88 cartas de apresentação e lealdade a Adolf Hitler, na Gelöbnis treuester Gefolgschaft, na qual pediu apoio para seu editor Samuel Fischer (que figurava, no anais do nazismo, como judeu). O próprio Flake, na terminologia nazi, era um "Halbjüdin", ou meio-judeu e com aquele gesto imaginava colocar-se em proteção. Por essa assinatura recebeu duras críticas, dentre outros, de Thomas Mann, Bertolt Brecht e Alfred Döblin.

Após a II Guerra Flake foi nomeado pelas forças de ocupação francesas como membro do Conselho de Cultura, em Baden-Baden, responsável pela realização de exposições e palestras. Como natural da Lorena, fez campanha pela reconciliação entre alemães e franceses. Sua última obra foi escrita em 1945.

Foi casado cinco vezes com quatro esposas (casou-se duas vezes com a mãe de sua filha Eva Maria). Sua obra Das Ende der Revolution (1920) foi indexada como proscrita na extinta República Democrática Alemã.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Alguns livros de Otto Flake.[1]

  • Straßburg und das Elsass (1908)
  • Rund um die elsässische Frage (1911)
  • Das Mädchen aus dem Osten (Histórias, 1911)
  • Schritt für Schritt (Romance, 1912)
  • Freitagskind: Eine Kindheit (Romance, 1913)
  • Die Prophezeihung (Novelas, 1915)
  • Horns Ring (Romance, 1916)
  • Das Logbuch (Coletânea de textos, 1917)
  • Abenteurerin; Im dritten Jahr (Peças, 1918)
  • Die Stadt des Hirns (Romance, 1919)
  • Das Ende der Revolution (1920)
  • Nein und Ja: Roman des Jahres (1917, 1920)
  • Dinge der Zeit (parte da obra "Fünf Hefte“, 1921)
  • Die moralische Idee: eine kritische Untersuchung (1921)
  • Kaiserin Irene: 4 Aufzüge (1921)
  • Das kleine Logbuch (1921)
  • Pandämonium: eine Philosophie des Identischen (1921)
  • Ruland (Romance, 1922)
  • Die Simona (Romance, 1922)
  • Das neuantike Weltbild (Ensaios, 1922)
  • Deutsche Reden (1922)
  • Die Unvollendbarkeit der Welt: eine Chemie Gottes (1923)
  • Zum guten Europäer: 12 Chroniken Werrenwags (1924)
  • Die Zweite Jugend (Histórico, 1924)
  • Der gute Weg (Roman, 1924)
  • Der Erkennende: Philosophie der Freiwerdung (1927)
  • Der Sommerroman (1927)
  • Die erotische Freiheit (1928)

Referências

  1. Esboço biográfico Arquivado em 14 de outubro de 2012, no Wayback Machine. (em alemão), acessado em abril de 2011
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.