Públio Calvísio Tulo Rusão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Públio Calvísio Rusão.
Públio Calvísio Tulo Rusão
Cônsul do Império Romano
Consulado 109 d.C.

Públio Calvísio Tulo Rusão (em latim: Publius Calvisius Tullus Ruso) foi senador romano eleito cônsul em 109 com Aulo Cornélio Palma Frontoniano[1][2]. Segundo a "História Augusta", teria sido cônsul uma segunda vez, provavelmente em 121[3]. Era filho de Públio Calvísio Rusão, cônsul sufecto em 79. É conhecido principalmente por ter sido avô do imperador Marco Aurélio através de sua filha, Domícia Lucila, a Jovem.

Família[editar | editar código-fonte]

Rusão casou-se com Domícia Lucila, a Velha, filha de Cneu Domício Cúrvio Lucano adotada pelo irmão dele, Cneu Domício Cúrvio Tulo numa manobra para assegurar a herança do rico Tito Curtílio Mância, cônsul em 55, o sogro de Lucano. O próprio Lucano morreu entre 93 e 94 e Domícia era viúva de um primeiro casamento na década de 80, do qual ela tinha vários filhos[4]. O casamento dos dois ocorreu o mais tardar em 103 e Rusão acrescentou o elemento "Tulo" ao seu próprio nome também para garantir a herança de Tulo, que havia acabado de falecer[5][6][7][4][8].

Domícia e Rusão tiveram pelo menos uma filha, Domícia Lucila, a Jovem, que herdou a imensa fortuna de seus pais. Por volta de 118, ela se casou com Marco Ânio Vero, filho do consular Marco Ânio Vero e irmão da imperatriz Faustina, a Maior, esposa de Antonino Pio[4]. Lucila e Vero tiveram dois filhos que chegaram à idade adulta, o futuro imperador Marco Aurélio, e Ânia Cornifícia Faustina[4]. Lucila também era avó de Cômodo e criou em sua casa um outro futuro imperador, Dídio Juliano[9].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul do Império Romano
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Precedido por:
'Ápio Ânio Trebônio Galo

com Marco Ápio Brádua
com Adriano (suf.)
com Marco Trebácio Prisco (suf.)
com Quinto Pompeu Falcão (suf.)
com Marco Tício Lústrico Brutiano (suf.)

Aulo Cornélio Palma Frontoniano II
109

com Públio Calvísio Tulo Rusão
com Lúcio Ânio Largo (suf.)
com Cneu Antônio Fusco (suf.)
com Caio Júlio Antíoco Epifanes Filopapo (suf.)
com Caio Abúrnio Valente (suf.)
com Caio Júlio Próculo (suf.)

Sucedido por:
'Marco Peduceu Priscino

com Sérvio Cornélio Cipião Salvidieno Orfito
com Caio Avídio Nigrino (suf.)
com Tibério Júlio Áquila Polemeano (suf.)
com Lúcio Catílio Severo Juliano Cláudio Regino (suf.)
com Caio Eruciano Silão (suf.)
com Aulo Lárcio Prisco (suf.)
com Sexto Márcio Honorato (suf.)


Referências

  1. AE 1927, 87 = AE 1927, 176, Gerze (Egito); CIL II5 789 = HEp. 2, 469 = AE 1989, 420 = AE 1992, 977, Singilia Barba (Málaga)
  2. Alison E. Cooley, The Cambridge Manual of Latin Epigraphy (Camrbidge: University Press, 2012), pp. 467ss
  3. História Augusta, Vida de Marco Aurélio I, 3
  4. a b c d Jo-Ann Shelton, The Women of Pliny's Letters, Routledge, 2012, p. 288-292, « Domitia Lucilla ».
  5. Françoise Des Boscs-Plateaux, Un parti hispanique à Rome ?, Casa de Velazquez, 2006, p. 493.
  6. Ginette Di Vita-Evrard, « Le testament dit “de Dasumius” : testateur et bénéficiaires », Actas del coloquio internacional AEIGL, Epigrafia Juridica Romana, Pamplona, 1987, Pampelune, 1989, p. 159-174.
  7. Françoise Des Boscs-Plateaux, Un parti hispanique à Rome ?, Casa de Velazquez, 2006, p. 177.
  8. Plínio, o Jovem, Epístolas VIII, 18.
  9. História Augusta, Vida de Dídio Juliano 1

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • E. Groag, "P. Calvisius Tullus" 13), RE, vol. III-1, Stuttgart, 1897, col. 1413.
  • Der Neue Pauly, vol. II, Stuttgart, 1999, col. 952.