Públio Cornélio Rufino (ditador em 333 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Públio Cornélio Rufino, cônsul em 290 a.C..
Públio Cornélio Rufino
Ditador da República Romana
Ditadura 333 a.C.

Públio Cornélio Rufino (em latim: Publius Cornelius Rufinus) foi um político da gente Cornélia da República Romana nomeado ditador em 333 a.C., o primeiro ano ditatorial da história de Roma, no qual não foram eleitos cônsules. Seu neto, Públio Cornélio Rufino, cônsul em 290 e 277 a.C. e ditador em 280 a.C., foi expulso do Senado pelo censor Caio Fabrício Luscino por viver em luxo excessivo.[1]

Ditadura (333 a.C.)[editar | editar código-fonte]

Em 333 a.C., Públio Cornélio foi nomeado ditador por que se temia uma reação dos samnitas por causa da campanha do ano anterior contra seus aliados, os sidicínios.[2] Ele escolheu um "Marco Antônio" como seu mestre da cavalaria (magister equitum).

Os auspícios que embasaram sua eleição foram considerados incorretos pelos áugures, assim como a convicção de que haveria um iminente ataque dos samnitas e Públio Rufino foi obrigado a renunciar ao cargo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
Espúrio Postúmio Albino Caudino

com Tito Vetúrio Calvino

Públio Cornélio Rufino
(Primeiro ano ditatorial)

333 a.C.
Sucedido por:
Cneu Domício Calvino

com Aulo Cornélio Cosso Arvina


Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • T. Robert S., Broughton (1951). «XV». The Magistrates of the Roman Republic. Volume I, 509 B.C. - 100 B.C. (em inglês). I. Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas