Palácio da Anunciada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Palácio da Anunciada, também designado por Palácio dos Condes da Ericeira e Palácio dos Ericeiras, foi um palácio situado na freguesia de São José, em Lisboa. O edifício foi fundado em 1533 por Fernão Alves de Andrade, benfeitor do mosteiro de Nossa Senhora da Anunciada, de freiras dominicanas, donde provém o seu nome e do Largo da Anunciada onde ficavam situados os seus edifícios. Mais tarde, por ter pertencido à família Meneses, Condes da Ericeira, o seu nome foi alterado.[1][2]

Neste palácio, existia uma biblioteca com mais de 18 000 exemplares, e um museu com obras de Rubens, Ticiano e Correggio. Nos jardins, estava exposta uma escultura de Bernini mandada construir em Roma.

Em 1755, devido ao terramoto que atingiu Lisboa, o palácio sofre graves danos com o incêndio que se lhe seguiu, destruindo por completo a grande colecção de livros. Posteriormente, parte dele , é adquirido pelo Conde de Burnay e, em 1926, pelo Ateneu Comercial de Lisboa.[3]

Em 1790, neste palácio, nasceu o Duque de Saldanha e, em 1837, a Madre Teresa de Saldanha, fundadora da Congregação das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena.

Referências