Pancrácio Taronita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pancrácio Taronita
Nacionalidade Armênio
Progenitores Pai: Asócio III
Ocupação General
Principais trabalhos
Título
Religião Ortodoxia Oriental

Pancrácio Taronita (em grego clássico: Παγκράτιος Ταρωνίτης; transl.: Pankrátios Taronítes) foi um príncipe armênio de Taraunita, que serviu ao Império Bizantino no reinado do imperador Basílio II (r. 976–1025)

Vida[editar | editar código-fonte]

Histameno de Nicéforo II (r. 963–969) e Basílio II (r. 976–1025)

Era filho de Asócio III, príncipe da região de Taraunita no sul da Armênia. Na morte de Asócio em 968, Pancrácio e seu irmão Gregório cederam Taraunita ao Império Bizantino em troca de extensas terras dentro do império e o título de patrício. Com a derrota bizantina na Batalha da Porta de Trajano em 986, o Império Bizantino mergulhou em guerra civil na qual Bardas Focas, o Jovem e Bardas Esclero, que representavam a aristocracia da Ásia Menor, rebelaram-se contra o então imperador Basílio II Bulgaróctono (r. 976–1025). Os dois irmãos envolveram-se na guerra civil, inicialmente do lado de Bardas Focas, mas logo mudaram para o lado do imperador.[1][2]

Casou com Helena, filha do magistro e reitor Miguel Lecapeno e bisneta do imperador Romano I (r. 920–944), com quem teve Ágata. Se pode especular que não se casou com Helena até depois de sua mudança para Constantinopla e sua aceitação na aristocracia, de modo que Helena talvez não fosse sua primeira esposa. Honigmann considerou que Pancrácio era o pai dos "filhos de Pancrácio" citados por Iáia, que foram enviados para ajudar Bardas Focas por Davi III (r. 966–1001) quando se revoltou contra Basílio.[2]

Referências

  1. Kazhdan 1991, p. 2012-2013.
  2. a b Lilie 2013.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Kazhdan, Alexander Petrovich (1991). The Oxford Dictionary of Byzantium. Nova Iorque e Oxford: Oxford University Press. ISBN 0-19-504652-8 
  • Lilie, Ralph-Johannes; Ludwig, Claudia; Zielke, Beate et al. (2013). «#20736 Bagrat». Prosopographie der mittelbyzantinischen Zeit Online. Berlim-Brandenburgische Akademie der Wissenschaften: Nach Vorarbeiten F. Winkelmanns erstellt