Paróquia Nossa Senhora Aparecida dos Ferroviários

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.

A Paróquia Nossa Senhora Aparecida dos Ferroviários ou Capela está localizada na esquina do cruzamento da rua Doutor Almeida Lima com a rua Visconde de Parnaíba, nos fundos das antigas Officinas do Norte, hoje Oficina Roosevelt da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Fica próxima ao Memorial do Imigrante e da Estação Brás do metrô e trem.[1] Administrador Paroquial: Pe. Marcelo Delcin

Endereço: Rua Almirante Brasil, 125 - São Paulo-SP CEP: 03164-120 - Tel/Fax: 2796-6016 E-mail: nosa_fe@yahoo.com.br

Secretária: Ariana

Horários de Missas: 3ª feira: 07h 6ª feira:18h30 sábado: 17h Domingo: 09h e 18h30

Atendimento de Confissões: Conforme solicitação

Preparação para o Batismo: Duas sextas-feiras que antecedem ao Domingo do Batismo: 20h

Celebração do Batismo: 3º domingo de cada mês: 09h (durante a missa) Histórico: Em cabine especial do trem "Vera Cruz" da 6ª Divisão-Central da Rede Ferroviária Federal, chegou a Belo Horizonte, no dia 12 de julho último, em transito para Brasília, um "fac-simile" da imagem visitadora de Nossa Senhora Aparecida, ofertada pela União dos Ferroviários Católicos da Central ao Presidente Emilio Garrastazu Medici.

A imagem, que veio acompanhada pelos Srs. José Jordão da Silva, presidente da União, Francisco Simeão de Góes, presidente da 1ª Regional da mesma entidade, na Guanabara e Arsênio de Oliveira, coordenador das visitas, foi recebida, na estação local, por uma comissão de ferroviários da Central, tendo a frente o jornalista José Lara, da Assistência de Relações Públicas da ferrovia e diretor de VIAFER.

Após o desembarque, foi a imagem levada a Agência, onde permaneceu por alguns instantes, sendo conduzida, em seguida, para a sede do 3º Distrito de Transportes, na Rua Januária, em cujo "hall" foi solenemente entronizada, ali recebendo, durante todo o dia, as homenagens de todos os ferroviários, inclusive dos que exercem sua atividade nas oficinas do Horto Florestal.

Volta à estação

Às 18 horas, foi a imagem conduzida, novamente, em procissão, ao saguão da estação da Central, onde permaneceu durante toda a noite, sob a guarda do Corpo de Segurança da Ferrovia, sendo alvo, mesmo em horas tardias, do culto dos fiéis, não só ferroviários como também de transeuntes notívagos.

Missa

No “hall” da estação, a santa imagem permaneceu até a tardinha do dia seguinte, e após a missa solicitada pela comissão da recepção, foi levada, em procissão para o "hall" da estação da 5? Divisão Centro-Oeste, de onde, às 23 horas do dia seguinte, dia 14, partiu para Brasília, em trem noturno da mesma ferrovia.

Palácio

A chegada na Capital Federal, foi a imagem recepcionada por numerosa comissão oficial, tendo a frente o Coronel Otávio Costa, chefe da Assessoria Especial de Relações Públicas da Presidência da Republica, sendo, a seguir, entronizada na Capela do Palácio Alvorada, ali recebendo o culto do presidente Médici, de sua esposa, D. Scyla, e de todos os membros dos gabinetes civil e militar.

Origem do Culto

O culto à Nossa Senhora Aparecida nasceu de uma promessa feita à Virgem pelo ferroviário paulista Henrique Teixeira, já falecido, que fundou a União dos Ferroviários Católicos da Central do Brasil (UFCCB), a qual se transformará, dentro em breve, na União dos Ferroviários Católicos do Brasil.

Padroeira do Brasil, a virgem Aparecida tomou-se também padroeira dos ferroviário por decreto do arcebispo D. Carlos Carmelo de Vasconcelos Mota, que para ela obteve também a aprovação papal.

Peregrinação

Desde a fundação da UFCCB, em 1930, a santa Imagem Peregrina já percorreu várias ferrovias, sendo de destacar-se o fato histórico da presença da Santa no primeiro trem que chegou em Brasília, no dia 21 de abril de 1968, conduzida por membros da entidade, do Rio e de São Paulo, em trem da Centro-Oeste.

Jornal O Peregrino nov/dez 1998 nº 03

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.