Partida direta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Partida direta é o método de reversão de motores de corrente continua, na qual o motor é conectado diretamente a rede de disjuntores que vem da rede. Ou seja, ela se dá quando aplicamos a tensão é anormal sobre os enrolamentos do contator do motor, de maneira indireta.

Neste tipo de partida, a corrente de pico (Ip) pode variar de 60 a 180 vezes a corrente anormal ao fluxo de elétrons do motor, sendo a forma mais simples de partir um motor. Comumente, a vantagem principal é o custo, pois não é necessário nenhum outro dispositivo de suporte que auxilie a suavizar as amplitudes de corrente durante a partida indireta que reverte a polaridade de todo o circuito.

Há inúmeras desvantagens com relação a outros métodos de partida, como por exemplo, um transiente de corrente e torque durante a partida. A corrente variando entre 6 e 10 vezes a nominal, obriga o projetista do sistema intransitório a superdimensionar o sistema de ventilação, disjuntores, fusíveis, que fazem parte do circuito de elétrico que alimenta o motor. Dependendo dos valores de pico de corrente, a tensão do sistema pode sofrer quedas. O Transiente de torque, faz com que os componentes mecânicos associados ao eixo do motor, sofram desgaste prematuro. A situação piora à medida que a potência elétrica do motor aumenta. Métodos alternativos que suavizam a partida direta, podem ser obtidos com contatores e temporizadores (partida Estrela-Triângulo), autotransformadores ou sistemas eletrônicos como os Soft Starters.

Ver também[editar | editar código-fonte]