Passadiços do Paiva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Os Passadiços do Paiva, em Arouca, é um passadiço de madeira com cerca de 8,7 quilómetros, estando prevista a construção de mais 12 quilómetros[1], localizado no território da União das Freguesias de Canelas e Espiunca, no concelho[2] de Arouca[3] (município da Área Metropolitana do Porto[4] e da Região Norte[5] de Portugal, integrado no extremo nordeste do distrito de Aveiro[6]) construído ao longo da margem esquerda do rio Paiva, na bacia hidrográfica do rio Douro[7], entre a ponte de Espiunca e a praia fluvial do Areinho, abarcando assim a área conhecida como a Garganta do Paiva, sendo um dos elementos do Arouca Geopark. Localizado a uma hora de distância do Porto[8], os Passadiços do Paiva permitem sair da realidade do espaço urbano da cidade do Porto[9] e entrar num cenário saído de um filme[10].

Vista sobre o rio Paiva - rio metropolitano da Área Metropolitana do Porto, afluente do rio Douro

Em Agosto de 2017, na sequência do seu sucesso[11], foi adjudicada a construção de uma ponte pedonal de 480 metros sobre o rio Paiva, com um orçamento de cerca de 1,7 milhões de euros, cujo piso transparente[12] (construído com uma malha metálica super-resistente[13]) estará suspenso a 150 metros de altura, com 1,20 metros de largura em toda a extensão, apoiada por apenas dois cabos a ligar ambas as margens do rio na zona da Garganta do Paiva, permitindo apreciar a cascata das Aguieiras e a escadaria monumental dos Passadiços do Paiva a partir de uma cota superior[14]. Contudo, houve críticas imediatas dos movimentos ambientalistas pela possibilidade da ponte transparente resultar num instrumento para "turismo de massas" prejudicial à biodiversidade local[15].

Os Passadiços do Paiva, a 4 de Setembro de 2016, foram eleitos como projeto turístico mais inovador da Europa, na edição de 2016 dos World Travel Awards[16], na categoria de Projeto de Desenvolvimento Turístico Líder na Europa, considerados os Óscars do Turismo a nível mundial[17]. Pelo segundo ano consecutivo, o equipamento 'Passadiços do Paiva' ganhou o prémio de 'Melhor projecto de desenvolvimento turístico da Europa', numa cerimónia que ocorreu no dia 30 de Setembro de 2017 em São Petersburgo, na Rússia[18] No ano de 2018, pela terceira vez consecutiva, os Passadiços do Paiva venceram, na Grécia, esses denominados "Óscares" do Turismo para Melhor Projeto Europeu de Desenvolvimento Turístico e também Melhor Atração Europeia de Turismo de Aventura [19].

Tendo candidatado os Passadiços do Paiva, o Município de Arouca (concelho com uma forte ligação sócio-económica ao espaço urbano do Porto[20], para além da proximidade territorial[21], visto que a fronteira de São Miguel do Mato (Arouca) com Gondomar dista cerca de 20 km da cidade do Porto[22]) venceu o prémio «Município do Ano 2016», na categoria «Área Metropolitana do Porto», na terceira edição dos prémios «Município do Ano», que são uma organização da UM-Cidades (Universidade do Minho), que pretende premiar boas práticas, a partir de projetos com impactos significativos no território, na economia e na sociedade, e que promovam o crescimento, a inclusão e a sustentabilidade[23].

O percurso faz-se sob uma estrutura em madeira de pinho tratado, ancorada em ferro no maciço rochoso[24], sendo necessário, para o percorrer, alguns cuidados regulamentares e medidas de segurança[25].

O passadiço também integra troços em degraus e algumas parcelas em terra firme.

Descida, pela encosta da Garganta do Paiva, no passadiço

Ao longo do percurso encontram-se painéis explicativos e informativos quanto a referências naturais como a cascata da Aguieira e os rápidos mais fortes do rio, como o chamado 'Rápido Grande', de 100 metros de extensão em corrente acelerada, e o 'Rápido das Marmitas', de 50 metros.

O percurso estende-se entre as praias fluviais do Areinho e de Espiunca, encontrando-se, entre as duas, a praia do Vau. Pelo percurso, podem-se observar várias tipos de espécies selvagens no ambiente envolvente[26].

História[editar | editar código-fonte]

Adjudicação e construção[editar | editar código-fonte]

Por deliberação tomada por unanimidade, a Câmara Municipal de Arouca adjudicou a construção dos Passadiços do Paiva, pelo valor de €1.854.583,70, à empresa “DST – Domingos Silva Teixeira, S.A.” em fevereiro de 2013.

A obra é do arquiteto Nuno Martins Melo.

Inauguração[editar | editar código-fonte]

Foram inaugurados em 20 de junho de 2015. Nos primeiros 2 meses e meio receberam mais de 200 mil pessoas[27].

Os Passadiços serpenteiam pela encosta íngreme do rio Paiva

Incêndios[editar | editar código-fonte]

Em 7 de setembro de 2015, um incêndio florestal na freguesia de Canelas e Espiunca afetou cerca de 600 metros de passadiço, o que levou ao encerramento provisório do mesmo.[28]

Os Passadiços do Paiva reabriram em 15 de fevereiro de 2016 com nova escadaria e condições melhoradas. A entrada passou a ser limitada e paga, mas há um troço com cerca de um quilómetro de livre acesso.

Até ao alto da garganta do Paiva, nasceu nova escadaria, com 150 a 200 metros de altura que eliminou um ponto fraco dos Passadiços do Paiva que era o caminho em terra por um eucaliptal de um quilómetro. A ligação foi encurtada para cerca de 250 metros e volta-se para o rio.

O meio do percurso ganhou casas de banho (pré-fabricadas), na praia fluvial do Vau. A de Espiunca, no início, passou a ter zona de estacionamento para mais de 400 carros, em terrenos agrícolas arrendados.

Um aspeto do passadiço

A afluência passou a ser limitada a 3500 visitantes diários. As entradas passaram a custar um euro. Os acessos são controlados através de uma plataforma online que foi lançada a 1 de fevereiro. Para a realização do percurso integral, os interessados têm que solicitar o seu direito de entrada através da Internet e depois apresentar o comprovativo dessa reserva aos funcionários que, nas três entradas do percurso, verificam os respetivos dados. A população de Arouca tem entrada livre mediante a apresentação de um cartão de residente que custa 2,50 euros, sem IVA, e é válido por três anos.[29]

A 11 de agosto de 2016 voltaram a ser consumidos pelas chamas, obrigando ao seu encerramento[30], num incêndio de grandes proporções que destruiu uma dimensão considerável do território florestal de Arouca[31], mas foram reabertos, de modo parcial, passado cerca de uma semana do incêndio, no dia 19 de agosto de 2016[32].

A 13 de abril de 2017, foram reabertos e, para o ano de 2017, foram outra vez nomeados para os World Travel Awards. Com essa reabertura, o Município de Arouca criou um novo parque de estacionamento e contratou mais controladores de entradas, estando próxima a construção de uma nova ponte suspensa sobre o rio que, com 480 metros de extensão, será uma das maiores da Europa [33].

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

Em 7 de outubro de 2015, a Câmara Municipal de Arouca recebeu o Prémio do Salão Imobiliário de Lisboa, na categoria «Reabilitação Urbana – espaços públicos», reconhecendo o carácter singular e inovador do projeto «Passadiços do Paiva».

O Conselho Estratégico do evento e a Fundação AIP foram unânimes na atribuição do «Prémio Reabilitação Urbana na categoria espaços públicos» aos «Passadiços do Paiva» pelo «contributo para o desenvolvimento do sector imobiliário, na vertente da reabilitação de espaços públicos».[34]

Em setembro de 2016, os Passadiços foram um dos premiados da edição de 2016 dos World Travel Awards, que, considerados os Óscares do Turismo a nível mundial, distinguiram o projeto de Arouca como o mais inovador da Europa.

Em junho de 2017, os Passadiços foram premiados na quarta edição do Prémio Nacional de Arquitetura em Madeira de 2017. A cerimónia de entrega do prémio realizou-se em 30 de junho de 2017 no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra. Entregue pelo ministro Adjunto Eduardo Cabrita, o prémio é um cheque de dez mil euros e o Troféu Siza Vieira.[35]

Em Setembro de 2017, o presidente da Câmara de Arouca anunciou a geminação com a cidade de Zhangjiajie, na China, com vista à promoção dos respetivos geoparques e a atração de mais visitantes asiáticos ao concelho português, com a consequente cooperação entre esses dois geoparques da rede UNESCO[36].

Acessos aos Passadiços do Paiva - Praia Fluvial do Areinho[37] - Arouca[38][editar | editar código-fonte]

A forma mais rápida e directa de acesso aos Passadiços do Paiva, em Arouca, é feita a partir de um dos seus pontos de partida, na Praia Fluvial do Areinho, para onde, de forma mais directa e eficaz, se acede, por automóvel, a partir do Porto[39] e do território da Área Metropolitana do Porto, de onde também existem autocarros diários para a vila de Arouca[40] [41][42]:

Área Metropolitana do Porto

Localização da
Área Metropolitana do Porto

Pela A32 (autoestrada), a partir do Porto / Vila Nova de Gaia (Via de Cintura Interna):

Mais a sul, pela A32 (autoestrada), encontra-se a saída mais próxima do concelho de Arouca em Carregosa, onde se entra na Estrada EN 224-1, que se percorre até ao lugar de Chão de Ave, na Freguesia de Chave (Arouca), entrando na EN224, que se percorre até Rossas (Arouca), onde se entra no primeiro troço já construído da variante à EN326, continuando até à vila de Arouca, União das Freguesias de Arouca e Burgo.(cerca de 50 a 55 minutos de viagem, entre o Porto e a vila de Arouca)

Ao chegar à vila de Arouca, no cruzamento do edifício da Câmara Municipal, ao fim da Avenida 25 de Abril, entra-se na estrada ER326-1, que liga a vila de Arouca a Alvarenga, percorrendo-a cerca de 15km até chegar à Praia Fluvial do Areinho, onde se localiza um dos pontos de partida dos Passadiços do Paiva, no rio Paiva

Para quem se deslocar de avião, helicóptero, comboio ou barco, a forma mais rápida, directa e eficaz será a partir dos seguintes locais de destino de viagem da Área Metropolitana do Porto, seguindo, depois, pelo percurso da A32 (autoestrada) até Arouca:

Acessos ao concelho de Arouca - Área Metropolitana do Porto

Pela Estrada Nacional EN1 / IC 2, a partir do Porto / Vila Nova de Gaia:

Ao chegar à vila de Arouca, no cruzamento do edifício da Câmara Municipal, ao fim da Avenida 25 de Abril, entra-se na estrada ER326-1, que liga a vila de Arouca a Alvarenga, percorrendo-a cerca de 15km até chegar à Praia Fluvial do Areinho, onde se localiza um dos pontos de partida dos Passadiços do Paiva, no rio Paiva.

Pela Estrada Nacional EN222, a partir do centro de Vila Nova de Gaia:

Ao chegar à vila de Arouca, no cruzamento do edifício da Câmara Municipal, ao fim da Avenida 25 de Abril, entra-se na estrada ER326-1, que liga a vila de Arouca a Alvarenga, percorrendo-a cerca de 15km até chegar à Praia Fluvial do Areinho, onde se localiza um dos pontos de partida dos Passadiços do Paiva, no rio Paiva.

Pela A43 (autoestrada), a partir da zona oriental do Porto:

Ao chegar à vila de Arouca, no cruzamento do edifício da Câmara Municipal, ao fim da Avenida 25 de Abril, entra-se na estrada ER326-1, que liga a vila de Arouca a Alvarenga, percorrendo-a cerca de 15km até chegar à Praia Fluvial do Areinho, onde se localiza um dos pontos de partida dos Passadiços do Paiva, no rio Paiva.

Pela EN108 (via Barragem de Crestuma-Lever), a partir da zona oriental do Porto:

Ao chegar à vila de Arouca, no cruzamento do edifício da Câmara Municipal, ao fim da Avenida 25 de Abril, entra-se na estrada ER326-1, que liga a vila de Arouca a Alvarenga, percorrendo-a cerca de 15km até chegar à Praia Fluvial do Areinho, onde se localiza um dos pontos de partida dos Passadiços do Paiva, no rio Paiva.

Para quem se deslocar, de automóvel ou de autocarro, a partir do Centro e do Sul de Portugal, a forma mais rápida e eficaz é pela A1 (autoestrada):

Ao chegar à vila de Arouca, no cruzamento do edifício da Câmara Municipal, ao fim da Avenida 25 de Abril, entra-se na estrada ER326-1, que liga a vila de Arouca a Alvarenga, percorrendo-a cerca de 15km até chegar à Praia Fluvial do Areinho, onde se localiza um dos pontos de partida dos Passadiços do Paiva, no rio Paiva.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Passadiços do Paiva
Wikivoyage
O Wikivoyage possui o guia Arouca

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Passadiços do Paiva, em Arouca, vão ter mais 12 km, um bar suspenso e dois museus
  2. Passadiços do Paiva são um fenómeno e a vila de Arouca não voltou a ser a mesma
  3. Mapa dos Passadiços do Rio Paiva - Arouca
  4. Arouca - Área Metropolitana do Porto - AMP
  5. Região Norte de Portugal, onde a identidade autóctone e endógena do território do município de Arouca se insere
  6. Passadiços do Rio Paiva - Arouca
  7. Rio Paiva e Rio Douro - rios metropolitanos da Área Metropolitana do Porto
  8. Passeios próximos ao Porto: Os Passadiços do Paiva
  9. Percurso Porto-Passadiços do Paiva (Arouca) / Passadiços do Paiva (Arouca)-Porto
  10. ALLaboutPorto: Passadiços do Paiva - 'Aqui ao lado'
  11. Passadiços do Paiva vai ter ponte transparente 'à prova de corajosos' - Porto Canal
  12. 480 metros de piso transparente: Adrenalina nos Passadiços do Paiva
  13. Nova ponte dos Passadiços do Paiva construída com uma malha metálica super-resistente
  14. Arouca vai ter ponte pedonal transparente sobre o Paiva
  15. Ponte transparente pode ser prejudicial à biodiversidade local
  16. World Travel Awards: Passadiços do Paiva - Arouca
  17. E o Óscar vai para: Passadiços de Arouca
  18. Passadiços do Paiva ganhou o prémio de 'Melhor projecto de desenvolvimento turístico da Europa em 2017
  19. Ano de 2018: Passadiços do Paiva - Melhor Projeto Europeu de Desenvolvimento Turístico e Melhor Atração Europeia de Turismo de Aventura
  20. Rio Paiva - RIO DA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO
  21. Quem quer ser arouquense - Jornal «Roda-Viva»
  22. Cientistas de Arouca relatam a forte ligação dos arouquenses à cidade do Porto, a proximidade territorial de Arouca com o espaço urbano do Porto e a sua tendência de mobilidade para o litoral
  23. MUNICÍPIO DE AROUCA VENCE PRÉMIO «MUNICÍPIO DO ANO 2016», NA CATEGORIA «ÁREA METROPOLITANA DO PORTO»
  24. Eles voaram sobre o Passadiço do Paiva
  25. Dez dicas para fazer os Passadiços do Paiva
  26. [http://www.campoaberto.pt/wp-content/uploads/2010/12/Retrato_da_biodiversidade_na_AMP.pdf UM RETRATO DA BIODIVERSIDADE NA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO]
  27. «Passadiços do Paiva só deverão reabrir em finais de outubro» 
  28. «Incêndio destrói 600 metros de passadiço no Paiva» 
  29. «Passadiço de Arouca reabre a 13 de fevereiro com entradas a um euro» 
  30. «Novo foco de incêndio nos passadiços do Paiva» 
  31. Área Metropolitana do Porto preocupada com os incêndios da região
  32. Passadiços do Paiva reabrem dia 19 de agosto de 2016
  33. Passadiços do Paiva reabrem dia 13 de abril de 2017
  34. «Passadiços do Paiva galardoados com o prémio SIL» 
  35. «Prémio Nacional de Arquitetura em Madeira vai para os Passadiços do Paiva» 
  36. «Geoparques de Arouca e da China assinam acordo que trará mais visitantes a Portugal» 
  37. Praia Fluvial do Areinho - Rio Paiva - Arouca
  38. Acessibilidades ao Concelho de Arouca e à Vila de Arouca
  39. "Andante" vai servir de Arouca a Vila do Conde
  40. Autocarros Porto-Arouca / Arouca-Porto - Transdev
  41. Autocarros Porto-Arouca / Arouca-Porto - Auto Viação Feirense
  42. Central de Camionagem de Arouca
  43. Marina do Freixo - rio Douro - Porto
  44. Marina 'Douro-Marina' - foz do rio Douro - Vila Nova de Gaia
  45. Marina 'Porto Atlântico' - Oceano Atlântico - Matosinhos