Pasta térmica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A pasta térmica é um composto químico elaborado com elementos com propriedades de conduzir bem o calor, ou seja, são bons condutores de calor[1]. Na informática é usado principalmente para dissipar o calor do processador, passando-o para o dissipador, e este vai ser resfriado por ação da ventoinha parafusada ao dissipador[2].

Ao encaixar o dissipador em cima do processador algumas imperfeições não notadas a olho nu ficam preenchidas de ar, mau condutor de calor, e não transferem esse calor, que fica estacionado, para o dissipador, que por sua vez será resfriado pela ventoinha. Com a aplicação da pasta térmica as imperfeições diminuem consideravelmente, além disso a pasta térmica é elaborada com componentes que são bons condutores de calor, portanto passam muito mais calor do processador para o dissipador de calor[3]. Por isso é um componente indispensável para usuários, tanto os considerados básicos a usuários avançados, os quais em boa parte fazem overclock em seus componentes de hardware para melhorar o desempenho destes.

O erro mais comum ao aplicar a pasta térmica pelos usuários pouco experientes é aplicar em excesso, crendo que isso irá fazer com que resfrie mais o processador. Mas na verdade, com a pasta térmica consegue-se obter melhor resultado apenas corrigindo as imperfeições microscópicas da superfície do processador que ficaria em contato direto com o dissipador, pois o metal (usado nos dissipadores) também é ótimo condutor de calor, tanto ou até mais que a pasta térmica utilizada para corrigir as falhas superficiais tanto do processador quanto do dissipador. Além de causar efeito adverso quando usada em excesso, a pasta térmica (algumas) também podem ocasionar curto circuito nos processadores ou componentes próximos como capacitores expostos ou resistores, também expostos por também conduzirem corrente elétrica.

Referências

  1. Victoria Thibles. «Pasta térmica: o que é, pra que serve e como trocá-la». Canaltech. Consultado em 28 de janeiro de 2017 
  2. Margareth Rose (março de 2011). «thermal grease (thermal paste or thermal compound)». WhatIs.com. Consultado em 28 de janeiro de 2017 
  3. Rafael Coelho (14 de março de 2016). «Vale a pena pagar mais por uma pasta térmica cara?». Clube do Hardware. Consultado em 28 de janeiro de 2017