Patoruzito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Patoruzito é um personagem de história em quadrinhos criado por Dante Quinterno. Criado no dia 11 de outubro de 1945 especialmente para os leitores infantis, representando a infância e adolescência de Patoruzú. O desenhista encarregado de Patoruzito era Tulio Lovato e o roteiro era de Mirco Repetto.[1]

Isidorito (o jovem Isidoro) e Patoruzito (o jovem Patoruzú)

Personagem[editar | editar código-fonte]

Patoruzito é um pequeno cacique indígena argentino residente na Patagônia, descendente da dinastia Patoruzek. Sua vestimenta é um poncho de cor amarela, calças pretas enroladas, sandálias e na cabeça um faixa branca com uma pluma. Sempre leva no cinto uma boleadeira. Tem grandes e gordos dedos nos pés, característica de toda a família, no entanto, seu nariz é pequeno, em contraste com o grande tamanho que ele desenvolve quando fica mais velho. Como em sua vida adulta (Patoruzú), é valente, generoso e fiel a suas convicções; maneja com destreza a boleadora e o arco e flecha; é ágil e incansável. Sempre junto ao seu cavalo Pamperito, a versão jovem de Pampero, e seu amigo Isidorito, representação da infância de Isidoro Cañones. Outros personagens que acompanhavam a Patoruzito eram Upa, a Chacha, Ñancul, o bruxo Chiquizuel e seu neto Chupamiel.

Revista[editar | editar código-fonte]

A história em quadrinhos teve uma frequência de saída semanal até a edição 892 de 31 de janeiro de 1963. Logo começou a aparecer mensalmente. Em 17 de dezembro de 1957 muda o nome para «Correrías de un pequeño gran cacique» que nas reedições finalmente permaneceu como «Correrías de Patoruzito».[2]

Começou a sair com um formato de 285 x 225 mm até 3 de janeiro de 1952 (edição n.° 322). Logo se reduziu para 265 x 175 mm até 26 de julho de 1956 (edição n° 558). Desde o número 559 em diante aumentou o tamanho para 285 x 190 mm. O interior da revista era em nível de cinza (branco e negro) e a capa colorida.[3]

A publicação de originais duraria até abril de 1977. Desde então, o que segue publicando-se são reimpressões com sutis mudanças - com a frase "Selección de las mejores" - que continuaram com o personagem até a atualidade.

Em 2010 Editorial Perfil lançou uma coleção de 12 exemplares totalmente coloridos com as melhores histórias do personagem após a conclusão de 65 anos de sua criação.[4]

O diario Clarín, em 2007, publicou «Patoruzito»,[5] um livro de 256 páginas com uma seleção de histórias em quadrinhos, algumas em cores e outras em preto e branco, edição que formava parte da «Biblioteca Clarín de la historieta».[6]

Filmes[editar | editar código-fonte]

  • Patoruzito. (2004). Direção: José Luis Massa.[7][8]
  • Patoruzito: la gran aventura (2006). Dirección: José Luis Massa.[9][10]

Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

Em 10 de julho de 2004 o Correio Argentino emitiu uma série de selos postais com os personagens de Dante Quinterno: Patoruzito, Isidorito, Pamperito, a Chacha e Upa;[11] e o 8 de julho de 2006 lançou uma nova emissão: Patoruzito II.[12]

Referências

  1. Leila Guerriero (3 de outubro de 1999). «Mirco Repetto: el papá de la vaca Aurora». La Nación revista. Consultado em 17 de fevereiro de 2011 
  2. Fernando García, Hernán Ostuni Rocca. «Vera historia del indio Patoruzú. - Patoruzito.». Revista latinoamericana de estudos sobre a história em quadrinhos, vol 3, no. 10. Buenos Aires, Argentina. Consultado em 17 de fevereiro de 2011 
  3. Héctor Pérez Edía. «Patoruzito». Tebeosfera® - Publicação periódica electrónica sobre historieta, humor gráfico y otros medios y culturas. Consultado em 17 de fevereiro de 2011 
  4. «El regreso del cacique». Perfil. 23 de agosto de 2010. Consultado em 17 de fevereiro de 2011 
  5. «Patoruzito» 1 ed. Argentina: Arte Gráfico Editorial Argentino. 2007. 256 páginas. ISBN 978-950-782-897-3. Consultado em 18 de fevereiro de 2011 
  6. «Un libro con las mejores correrías de Patoruzito, el caciquito más famoso». Clarín. 11 de março de 2007. Consultado em 17 de fevereiro de 2011 
  7. Adolfo C. Martínez. «"Patoruzito", film con identidad argentina». La nación - Espectáculos. Consultado em 17 de fevereiro de 2011 
  8. Patoruzito (em inglês) no Internet Movie Database
  9. «Patoruzito, la gran aventura». Cinenacional. Consultado em 17 de fevereiro de 2011 
  10. Patoruzito: La gran aventura (em inglês) no Internet Movie Database
  11. Pablo di María. «Patoruzito». Filatelia Argentina. Consultado em 17 de fevereiro de 2011 
  12. Pablo di María. «Patoruzito II». Filatelia Argentina. Consultado em 17 de fevereiro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]