Paulistana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outras acepções, veja Paulistano.
Paulistana
  Município do Brasil  
Hino
Apelido(s) "Cidade do Sol"
Gentílico paulistanense
Localização
Localização de Paulistana no Piauí
Localização de Paulistana no Piauí
Paulistana está localizado em: Brasil
Paulistana
Localização de Paulistana no Brasil
Mapa de Paulistana
Coordenadas 8° 08' 38" S 41° 09' O
País Brasil
Unidade federativa Piauí
Municípios limítrofes Jacobina do Piauí, Acauã, São Francisco de Assis do Piauí e Betânia do Piauí
Distância até a capital cerca de 450 km
História
Fundação 15 de dezembro de 1938
Aniversário 15 de dezembro
Administração
Prefeito(a) Gilberto José de Melo (PSB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 1 751,993 km²
População total (est. IBGE/2018[2]) 20 490 hab.
Densidade 11,7 hab./km²
Clima Semiárido
Altitude 354 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[3]) 0,605 médio
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 65 913,026 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 3 228,50

Paulistana é um município do estado do Piauí, localizado no sudeste do estado. É o 22º maior do estado, o 3º maior cidade da mesorregião e o maior da microregião. O município mais próximo de Paulistana é Acauã, distante cerca de 12 km. Sua área é de 1.752 km² representando 0,69% do estado, 0,11% da região e 0,02% de todo o território brasileiro.

Sua população estimada em 2018 foi de 20.490, segundo o IBGE. Cerca de 53,9% da população concentra-se na área urbana do município. A cidade possui um médio IDH-M (0,605)[5].


Clima[editar | editar código-fonte]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1975 a 1985 e a partir de 1993, a menor temperatura registrada em Paulistana foi de 15,3 °C em 29 de maio de 1984,[6] e a maior atingiu 40,8 °C em 13 de novembro de 2015.[7] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 128,4 milímetros (mm) em 19 de novembro de 2014, seguido por 124,8 mm em 16 de fevereiro do mesmo ano.[8] Janeiro de 2004, com 544,2 mm, foi o mês de maior precipitação.[9]

Dados climatológicos para Paulistana
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 39,4 39 39,2 37,7 37,6 36,8 35,6 38 39,4 39,6 40,8 39,4 40,8
Temperatura máxima média (°C) 32,4 32 31,5 31,7 32 31,4 31,4 32,5 34,4 35,6 35 33,9 32,8
Temperatura média compensada (°C) 26,9 26,4 26,1 26,3 26,5 25,8 25,7 26,5 28,3 29,5 29,2 28,2 27,1
Temperatura mínima média (°C) 22,2 22,2 21,9 21,9 21,7 20,8 20,5 20,9 22,3 23,6 24 23,4 22,1
Temperatura mínima recorde (°C) 16,4 17,9 17,1 17,4 15,3 16 15,5 16,7 16,9 18,5 17,7 16,8 15,3
Precipitação (mm) 129,3 113,2 165,1 49,7 22,4 3,8 1,3 0,3 3,5 21,8 55,8 69 635,2
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 9 7 11 5 2 1 0 0 0 2 5 7 49
Umidade relativa compensada (%) 66,4 70,9 75 70,5 63,3 57,9 55 49,5 44,3 44 50 58,1 58,7
Horas de sol 210,2 183,2 206,9 218,8 247,6 249,8 274,2 302,3 302,9 294,7 259,1 232,7 2 982,4
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[10]
recordes de temperatura: 22/09/1975 a 31/12/1985 e 01/01/1993-presente)[6][7]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Não houve evolução na demanda dos serviços oficiais de saúde no município (atenção básica) entre 2005 e 2009, segundo dados do IBGE (censo 2010).[11] Ao contrário, no que tange à atenção básica (SUS), o município ampliou, de forma tímida, apenas o serviço ambulatorial, de 8 para 12 estabelecimentos. Em 2013, o município conta com oito equipes do Programa de saúde da família (PSF), 6 equipes de saúde bucal (PSB) e 1 equipe do núcleo de apoio a saúde da família (NASF 1). Além de serviços de suma importância como o Centro de especialidades odontológicas (CEO II), o Centro de atenção Psico-social (CAPS), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e SOS Paulistana. O Hospital Regional Mariana Pires Ferreira, que serve de referência para as cidades circunvizinhas e era de gestão estadual foi municipalizado.

O município conta com quatro unidades hospitalares (três privadas e uma pública), um centro integrado de fisioterapia e oito postos de saúde, além de 51 agentes comunitários de saúde.

Em 2009, o município implantou o Programa Saúde nas Escolas programa intersetorial(saúde-educação) que oferece serviços de saúde aos alunos em idade escolar, no ambiente e horário das aulas, trata-se do Programa Saúde nas Escolas (PSE) do governo federal.

Esporte[editar | editar código-fonte]

No esporte Paulistana vem se destacando com sua forte Seleção de futebol, que se tornou uma das principais do estado no ano de 2006, ficando com o 4º lugar no campeonato estadual. Para a prática de esportes a prefeitura já fez a inauguração de três quadras poliesportivas na cidades.

O futebol sempre foi uma paixão municipal e seu campeonato intermunicipal sempre foi muito forte, devido ao intercâmbio com as regiões de Picos - PI e Petrolina - PE.

Outro destaque no município é a Peteca. A cidade é uma das pioneiras em todo a região nordeste e já conta com algumas dezenas de adeptos. A equipe da cidade tem participado de competições interestaduais.

Religiosidade[editar | editar código-fonte]

Em Paulistana, a maioria da população é católica, mas já é possível encontrar no município adeptos de outras religiosidades, como Testemunhas de Jeová, evangélicos, espíritas, umbandistas e outras religiões minoritárias. Em 2011 o município foi cenário do documentário A Teia Pagã, que registrou a presença de adeptos do neo-paganismo no município.

O principal e mais antigo templo religioso da cidade é a igreja católica de Nossa Senhora dos Humildes.

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «IBGE Cidades». Estimativa Populacional de 2018. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 01 de julho de 2018. Consultado em 17 de julho de 2019  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. PNUD Brasil (2000)
  6. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Paulistana». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 16 de junho de 2018 
  7. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Paulistana». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 16 de junho de 2018 
  8. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Paulistana». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 16 de junho de 2018 
  9. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - Paulistana». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 16 de junho de 2018 
  10. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 16 de junho de 2018 
  11. «"Serviços de Saúde 2005,2009 (IBGE 2010)"». Consultado em 6 de fevereiro de 2013. Arquivado do original em 30 de abril de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]