Pedro Cid

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pedro Cid
Nascimento 1925
Morte 1983 (58 anos)
Nacionalidade Portugal portuguesa
Ocupação arquitecto
Prémios Prémio Valmor e Municipal de Arquitectura 1975

Pedro Anselmo Braamcamp Freire Cid OSE (1925 - 1983), foi um arquiteto português.[1]

Pertence à 3.ª geração de arquitetos modernistas portugueses que, no período do pós-guerra, "garantiu a necessária mudança de mentalidade na arquitetura nacional".[2]

Biografia / Obra[editar | editar código-fonte]

Museu Calouste Gulbenkian

Formou-se em Arquitetura na Escola de Belas-Artes de Lisboa em 1952; trabalhou no Ministério da Administração Interna, onde colaborou no lançamento dos GAT (Gabinetes de Apoio Técnico). Em 1978 assumiu a direcção do GAT de Montemor-o-Novo. "Na sua actividade privilegiou a arquitectura límpida, despojada e discreta com grande sentido de economia de materiais".[3]

Foi autor (com Ruy Jervis Athouguia e Alberto Pessoa), do Museu e do Edifício Sede da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, obra de referência da arquitetura nacional e que culmina a sua evolução ao longo da década de 1950.[4]

A 31 de Outubro de 1969 foi feito Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.[5]

Ganhou o Prémio Valmor, 1975, relativo ao conjunto arquitetónico constituido pelo Edifício-sede, jardins e Museu da Fundação Calouste Gulbenkian (com Ruy Jervis Athouguia, Alberto Pessoa, Gonçalo Ribeiro Teles e António Viana Barreto).[6]

Algumas obras e projetos[7][editar | editar código-fonte]

  • 1955-1957 – Blocos de Habitação, Avenida Estados Unidos da América, 10 a 44, Lisboa (com João Vasconcelos Esteves e Manuel Laginha).[8]
  • 1956-1958 – Pavilhão de Portugal na Exposição Universal de Bruxelas, Bruxelas.
  • 1962 – Hotel em Porto Santo.[9]
  • 1963 – Conjunto habitacional, Rua Alferes Barrilaro Ruas, 2 a 8 e 1 a 12, Olivais Norte, Lisboa (com Fernando Torres).[10][11]
  • 1959-1969 – Sede e Museu da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa (com Alberto Pessoa e Ruy Atouguia).[12]
  • 1965 – Edifício de habitação, Avenida da República, 85, Lisboa (com João Vasconcelos Esteves e Manuel Laginha).[13]
  • 1966 – Plano Sub-Regional de Cacela, Vila Real de Santo António.
  • 1974 – Edifício Jean Monet, Lisboa.

Sede e Museu da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. A.A.V.V. 2006, p. 264
  2. França 1991, p. 456, 457
  3. Museu Calouste Gulbenkian. «Pedro Cid». Consultado em 7 de maio de 2013 
  4. França 1991, p. 517
  5. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Pedro Anselmo Braamcamp Freire Cid". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 16 de abril de 2016 
  6. «Prémio Valmor e Municipal de Arquitectura / 1970/1979». Câmara Municipal de Lisboa. Consultado em 18 de Julho de 2012 
  7. Museu Calouste Gulbenkian. «Pedro Cid». Consultado em 7 de maio de 2013 
  8. A.A.V.V. 1987, p. 251
  9. A.A.V.V. 2006, p. 158
  10. A.A.V.V. 2006, p. 255
  11. CIAAM, ISCTE. «Habitar em colectivo: arquitectura portuguesa antes do Saal» (PDF) 
  12. A.A.V.V. 2006, p. 173
  13. A.A.V.V. 1987, p. 165
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) arquiteto(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.