Peter Wittgenstein

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde dezembro de 2013).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Peter Wittgenstein
Nascimento 17 de janeiro de 1769
Pereiaslav-Khmelnytskyi
Morte 11 de junho de 1843 (74 anos)
Lviv, Império Austríaco

Ludwig Adolph Peter, Príncipe Wittgenstein (Pyotr Khristianovich Vitgenshtein) (em alemão: Ludwig Adolph Peter Fürst zu Sayn-Wittgenstein, em russo: Пётр Христиа́нович Ви́тгенштейн) (Pereiaslav-Khmelnytskyi, 17 de janeiro de 1769Lviv, Império Austríaco, 11 de junho de 1843) foi um marechal russo distinguido por serviços nas Guerras Napoleônicas.[1]

Peter era filho do Conde Christian Ludwig Casimir de Sayn-Wittgenstein-Ludwigsburg e sua primeira esposa, a condessa Amalie Ludlow Finck von Finckenstein.

Começou sua carreira militar em 1790 no regimento de Semionovsky. Nomeado major-general em 1799, comandou em 1800 o regimento dos hussardos de Mariupol. Durante a guerra da terceira coligação em 1805 integrou as forças russas em operação na Áustria, servindo sob as ordens de Miloradovich e Bagration, Tomando parte na batalha de Austerlitz, onde russos e austríacos foram derrotados por Napoleão Bonaparte.

Após a Paz de Pessburgo, lutou contra os turcos em 1806 (Guerra Russo-Turca 1806-18012). Durante a guerra da quarta coligação lutou contra os franceses na batalha de Friedland (1807) e contra os suecos na Guerra Finlandesa (1808-1809), que resultou na formação do Grão-Ducado da Finlândia.

Peter Wittgenstein desempenhou um papel decisivo durante o início da campanha russa (1812), na qual comandou a direita do exército russo, distinguindo-se nas batalhas de Kliastitsy e Polotsk, vencendo as forças franco-bávaras comandadas pelos generais Oudinot e Saint-Cyr, que ameaçavam avançar sobre São Petersburgo e cobriu o flanco esquerdo do Grande Exército marchando em direção a Moscou.

Durante a retirada das forças napoleônicas, liderou os russos na batalha de Czasniki, onde venceu os franceses sobre comando do general Perrin.  Comandou uma das alas do exército russo na Batalha de Berezina, onde os franceses conseguiram cruzar o rio e completara retirada das forças remanescentes.

Devido a seus feitos na campanha de 1812, Wittgenstein recebeu a ordem imperial militar de segunda classe de São Jorge, sendo chamado "Salvador São Petersburgo ", pelo Czar Alexandre I.

Durante a sexta coligação, em janeiro de 1813, foi nomeado chefe-geral do exército russo, em virtude da morte do Príncipe Kutuzov.  Comandou o exército imperial nas batalhas de Lützen e Bautzen, nas quais foi derrotado por Napoleão I, o que o forçou a entregar o comando geral, sendo substituído por Barclay de Tolly.

Ainda durante a sexta coligação participou das batalhas de Dresden e Leipzig e tomou parte na campanha da França (1814) a frente do 6º corpo, sendo gravemente ferido na perna durante a batalha de Bar-sur-Aube, em 27 de fevereiro de 1814. A lesão o obrigou a deixar o serviço militar em março. Retornou à Rússia em 1817, tornando-se Conselheiro de Estado em 1818.

Promovido marechal em 1826 voltou a comandar o exército russo em 1828 durante a Guerra Russo-Turca (1828-1829), porém sua saúde precária o forçou a se aposentar.

Em 1834, o rei da Prússia lhe conferiu o título de Fürst (principe) zu Sayn-Wittgenstein.

Morreu de causas naturais em 11 de junho de 1843 durante uma viagem a Lemberg

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Wittgenstein casou-se em 27 de junho de 1798 com a condessa Antônia Cecília Snarska; com quem teve onze filhos.

Ainda em 1826 intercedeu com sucesso junto ao czar Nicolau I, em favor de seu filho mais velho Ludwig zu Sayn-Wittgenstein-Berleburg, que havia se comprometido com os revoltosos dezembristas.

Referências

  1. Peter Khristianovich Napoleon.org

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.