Piada interna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Uma piada interna é um tipo de piada cujo humor é compreensível apenas por algumas pessoas que pertencem a um certo grupo social, ocupação ou comunidade que possuam interesses comuns. Ou seja, a piada é apenas engraçada para aqueles que conhecem o contexto na qual ela é contada. Um livro publicado em 1998 por McFarland & Company cataloga muitas dessas referências na mídia popular: Film and Television In-Jokes: Nearly 2,000 Intentional References, Parodies, Allusions, Personal Touches, Cameos, Spoofs and Homages.[1]

Parte da "força" de uma piada interna está no fato que sua audiência saber que há aqueles que irão ou não irão entender a piada.[2]

Piadas internas são alusões enigmáticas para um terreno comum compartilhado que funciona como gatilhos. Somente aqueles que têm compartilhado o terreno comum dão uma resposta adequada.[3] Uma piada interna pode ser um subtexto, onde alguém de repente começa a rir de algo que não é falado (muitas vezes depois pedir desculpas por fazê-lo, afirmando que o que eles estavam rindo era uma piada interna).[4]

Tipos[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Computação[editar | editar código-fonte]

Na computação, alguns programadores de computador escondem "piadas internas" no código de software na forma de "easter eggs", que escondem conteúdo que pode ser revelado, seguindo uma sequência de entradas.

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

Muitos programas de TV, como Family Guy, insirem inúmeras piadas internas em cada episódio, muitas vezes referindo-se a outros programas de TV ou filmes. Por exemplo, o filme de 2009 Star Trek estava cheio de referências de séries de TV Star Trek dos anos 60, e as referências eram constituídas por piadas internas para quem está familiarizado com as séries.

Referências

  1. Bill van Heerden (1998). Film and Television In-Jokes. [S.l.]: McFarland & Co. 318 páginas. ISBN 978-0-7864-3894-5 
  2. Paul Brooks Duff (2001). Who Rides the Beast?: Prophetic Rivalry and the Rhetoric of Crisis in the Churches of the Apocalypse. [S.l.]: Oxford University Press. 81 páginas. ISBN 019513835X 
  3. Randy Y. Hirokawa e Marshall Scott Poole (1996). Communication and Group Decision Making. [S.l.]: Sage Publications Inc. 96 páginas. ISBN 076190462X 
  4. Acting Your Dreams: Use Acting Techniques to Interpret Your Dreams. [S.l.]: Ben Tousey. 2003. pp. 118–119. ISBN 1414005423  Parâmetro desconhecido |athor= ignorado (ajuda)