Plebeia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPlebeia
Plebeia droryana
Plebeia droryana
Rainha de Plebeia remota
Rainha de Plebeia remota
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Hymenoptera
Superfamília: Apoidea
Família: Apidae
Subfamília: Apinae
Tribo: Meliponini
Género: Plebeia

Plebeia é um gênero de abelha sem ferrão descrito por Schwarz em 1938, está presente desde o México até a Argentina e o Uruguai.[1] Apresenta pequeno porte entre 3 a 4 mm e coloração predominantemente escura, com algumas espécies apresentando áreas pigmentadas em amarelo, essas áreas amarelas auxiliam na identificação do espécime.

Constroem seus ninhos em cavidades pré-existentes como ocos de árvores, buracos em muros de pedra ou fendas em rochas graníticas, dependendo da espécie. Algumas espécies constroem as células de cria dispostas em cachos, enquanto outras em discos organizados. Geralmente espécies que constroem os ninhos em cachos ocupam cavidades menores e irregulares enquanto as que constroem em discos organizados preferem cavidades maiores e organizadas.[2]

A população média de uma colônia varia muito com a espécie, vai desde 150 indivíduos para a Plebeia nigriceps, 2400 para Plebeia droryana até 7000 para Plebeia saiqui.[3]

As espécies de abelha desse gênero tem potencial de produção de própolis e mel e podem então serem criadas em caixas racionais por meliponicultores.

O estabelecimento da colônia filha requer conexão com a colônia mãe por meio das operárias, a duração desta ligação varia entre as espécies, cerca de 1 mês para Plebeia mosquito e 2 meses para Plebeia poecilochroa.[4]

O voo nupcial para Plebeia droryana tem duração aproximada de 15 minutos e após cerca de 40 dias a rainha começa a botar os ovos.[5]

Observou-se em colônias que a taxa de postura diária da rainha é de 13 a 30 células para Plebeia julianii, aproximadamente 80 células para Plebeia droryana e acima de 220 para Plebeia remota.[6][7][8]

Segundo trabalhos publicados "Há ainda um grande número de espécies novas não descritas no Brasil"[9]. Existem 41 espécies de Plebeia catalogadas até então, são elas:[10]

Gênero Espécie Nome popular Distribuição Pesquisador
Plebeia Plebeia alvarengai Brasil (AM, MT, PA, RO) Moure, 1995
Plebeia Plebeia catamarcensis Argentina e Brasil (MS, RS) Holmberg, 1903
Plebeia Plebeia cora México Ayala, 1999
Plebeia Plebeia droryana Mirim-droryana Argentina, Bolívia, Brasil (BA, ES, MG, PR, PE, RS, RJ, SC, SP) e Paraguai Friese, 1900
Plebeia Plebeia emerina Mirim-emerina, tujuvinha-mirim Brasil (PR, RS, SC, SP) e Paraguai Friese, 1900
Plebeia Plebeia emerinoides Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai Silvestri, 1902
Plebeia Plebeia flavocincta Brasil (PR, RS, SC, SP) e Paraguai Cockerell, 1912
Plebeia Plebeia franki Mimí Colômbia, Costa Rica e Panamá Friese, 1900
Plebeia Plebeia fraterna Venezuela Laroca and Rodriguez-Parilli, 2009
Plebeia Plebeia frontalis Mimí México, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, Nicarágua e Panamá Friese, 1911
Plebeia Plebeia fulvopilosa México Ayala, 1999
Plebeia Plebeia goeldiana Venezuela Friese, 1900
Plebeia Plebeia grapiuna Brasil (BA) Melo and Costa, 2009
Plebeia Plebeia guazurary Argentina Alvarez, Rasmussen and Abrahamovich, 2016
Plebeia Plebeia jatiformis Serenita México, Costa Rica, Guatemala e Panamá Cockerell, 1912
Plebeia Plebeia julianii Mirim-preguiça-preta Brasil (PR) Moure, 1962
Plebeia Plebeia kerri Lameojo, boca-de-vieja Bolívia e Peru Moure, 1950
Plebeia Plebeia llorentei México Ayala, 1999
Plebeia Plebeia lucii Brasil (ES, MG) Moure, 2004
Plebeia Plebeia malaris Peru Moure, 1962
Plebeia Plebeia manantlensis México Ayala, 1999
Plebeia Plebeia margaritae Brasil (AM, MT, RO) e Peru Moure, 1962
Plebeia Plebeia melanica México Ayala, 1999
Plebeia Plebeia meridionalis Brasil (ES, MG, PR, RJ) e Paraguai Ducke, 1916
Plebeia Plebeia mexica México Ayala, 1999
Plebeia Plebeia minima Jati, mirim, lambe-suor, lameojo Bolívia, Brasil (AC, AP, AM, MA, MG, PA), Peru e Suriname Gribodo, 1893
Plebeia Plebeia molesta Argentina Puls, 1869
Plebeia Plebeia mosquito Mirim-mosquito Brasil (MG, RJ) Smith, 1863
Plebeia Plebeia moureana México Ayala, 1999
Plebeia Plebeia nigriceps Mirim-nigriceps Argentina, Brasil (PR, RS, SC, SP) e Paraguai Friese, 1901
Plebeia Plebeia parkeri México Ayala, 1999
Plebeia Plebeia peruvicola Peru Moure, 1995
Plebeia Plebeia phrynostoma Boca-de-sapo Brasil (ES, MG) Moure, 2004
Plebeia Plebeia poecilochroa Brasil (BH, ES, MG, PE) Moure and Camargo, 1995
Plebeia Plebeia pulchra México Ayala, 1999
Plebeia Plebeia remota Mirim-remota, abelha-preguiçosa, preguiçosa Bolívia e Brasil (ES, MG, PR, RS, SC, SP) Holmberg, 1903
Plebeia Plebeia saiqui Mirim-saiqui Brasil (MG, PR, RS, RJ, SC, SP) Friese, 1900
Plebeia Plebeia tica Costa Rica Wille, 1969
Plebeia Plebeia tobagoensis Trinidad e Tobago Melo, 2003
Plebeia Plebeia variicolor Brasil (AM, PA, RO) e Peru Ducke, 1916
Plebeia Plebeia wittmanni Argentina, Brasil (RS) e Uruguai Moure and Camargo, 1989

Referências

  1. «Plebeia Schwarz, 1938». J. M. F. Camargo & S. R. M. Pedro, 2013. Meliponini Lepeletier, 1836. In Moure, J. S., Urban, D. & Melo, G. A. R. (Orgs). Catalogue of Bees (Hymenoptera, Apoidea) in the Neotropical Region - online version. Consultado em 3 de dezembro de 2021 
  2. Werneck, Hugo de Azevedo, 1980- W491s 2016 Sistemática molecular e evolução do clado Plebeia : análises baseadas em filogenia e datação molecular da tribo Meliponini / Hugo de Azevedo Werneck. – Viçosa, MG, 2016. x, 78f. : il. (algumas color.) ; 29 cm.
  3. Grüter, Christoph (2020). «Stingless Bees». Fascinating Life Sciences (em inglês). ISSN 2509-6745. doi:10.1007/978-3-030-60090-7. Consultado em 7 de dezembro de 2021 
  4. Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul.; Sul, Fundação Zoobotânica do Rio Grande do; Naturais, Museu Rio-Grandense de Ciências (1967). Iheringia. Pôrto Alegre [Brazil] :: Museu Rio-Grandense de Ciências Naturais, Divisão de Ciências do Departamento de Ciência e Cultura, Secretaria de Estado dos Negócios da Educação e Cultura do Govêrno do Estado do Rio Grande do Sul, 
  5. «da Silva LN (1972) Considerações em Torno de um Caso de Substituição de Rainha em Plebeia (Plebeia) droryana (Friese, 1900). In: Homenagem ao 50° aniversário de WE Kerr. Rio Claro, pp 267–273»  line feed character character in |titulo= at position 90 (ajuda)
  6. Roldão-Sbordoni, Yara Sbrolin; Nascimento, Fábio Santos; Mateus, Sidnei (9 de julho de 2018). «Estimating colonies of Plebeia droryana (Friese, 1900) (Hymenoptera, Apidae, Meliponini): adults, brood and nest structure». Sociobiology (2). 280 páginas. ISSN 2447-8067. doi:10.13102/sociobiology.v65i2.2345. Consultado em 8 de dezembro de 2021 
  7. Drumond PM, Zucchi R, Yamane S, Sakagami SF (1998) Oviposition behavior of the stingless bees: XX. Plebeia (Plebeia) julianii which forms very small brood batches (Hymenoptera: Apidae, Meliponinae). Entomol Sci 1(2):195–205
  8. van Benthem FDJ, Imperatriz-Fonseca VL, Velthuis HHW (1995) Biology of the stingless bee Plebeia remota (Holmberg): observations and evolutionary implications. Insect Soc 42:71–87
  9. SILVEIRA, MELO, ALMEIDA, Fernando A., Gabriel A. R., Eduardo A. B. (2002). Abelhas brasileiras: sistemática e identificação. Belo Horizonte: [s.n.] p. 91. ISBN 85-903034-1-1 
  10. «Plebeia Schwarz, 1938». ITIS - Integrated Taxonomic Information System - Report 
Ícone de esboço Este artigo sobre abelhas, integrado ao Projeto Apiologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.