Portugal e o Futuro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde abril de 2009). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.

Portugal e o futuro, de António de Spínola, foi um livro publicado pelo editor Waldemar Paradela de Abreu com a chancela da Editora Arcádia, no dia 22 de Fevereiro de 1974.

Nesse livro, o ex-governador da Guiné-Bissau advogava, após 13 anos de Guerra do Ultramar, uma solução política e não militar como sendo a única saída para o conflito.

As acções do governo marcelista, a demissão dos generais António de Spínola e Francisco da Costa Gomes dos cargos que ocupavam no Estado-Maior General das Forças Armadas, e a organização de cerimónia de apoio ao regime pela designada "Brigada do Reumático", assim chamada por ser maioritariamente constituída por idosos oficiais-generais dos três ramos das Forças Armadas, vieram ainda mais mostrar quanto o regime se sentia ameaçado pelas ideias contidas no livro[1].

No rescaldo da publicação Marcelo Caetano pede a demissão ao Presidente da República, que não a aceita[2].

O livro teve uma edição no Brasil, pela Editora Nova Fronteira, com uma nota introdutória de Carlos Lacerda.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

[http://www.britannica.com/EBchecked/topic/471631/Portugal-e-o-Futuro

"Portugal e o Futuro." Encyclopædia Britannica. 2009. Encyclopædia Britannica Online. 29 Apr. 2009]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. 25Abril.org - A "Brigada do Reumático"
  2. Cronologia de acontecimentos: Portugal 1640-1974, Projecto de Teorização do Jornalismo em Portugal, Fundação Fernando Pessoa/Universidade Fernando Pessoa.
Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.