Prosopografia do Império Romano Tardio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Prosopografia do Império Romano Tardio (em inglês: Prosopography of the Later Roman Empire; usualmente abreviado como PLRE em inglês) é um conjunto de três volumes que coletivamente descrevem cada pessoa atestada do mundo romano de 260, a data do início do reinado do imperador Galiano (r. 260–268), a 641, a data da morte do imperador Heráclio (r. 610–641), que é comumente utilizado para marcar o fim da Antiguidade Tardia. Dentre as fontes citadas incluem livros historiográficos contemporâneos, textos literários, inscrições, e diversas fontes escritas. Os indivíduos conhecidos apenas a partir de fontes duvidosas (por exemplo, História Augusta), bem como as pessoas identificáveis, cujos nomes foram perdidos, estão incluídos com sinais que indicam a confiabilidade.

O trabalho foi anunciado na edição de 1950 do Journal of Roman Studies como um projeto da Academia Britânica, com o objetivo de fazer "para o Império Tardio o que a Prosopographia Imperii Romani tem feito para o Principado, para fornecer materiais de estudo da classe governante do império.

A maioria das entradas é de pessoas que ocupam postos oficiais ou classes junto de suas famílias, e o trabalho não inclui clérigos, exceto na medida que eles entrarem nas categorias acima."[1] Os volumes foram publicados pela Cambridge University Press, e envolveu um grande número de autores e colaboradores, sendo Arnold Hugh Martin Jones, John Robert Martindale, e John Morris os principais editores. O conteúdo divide-se da seguinte maneira:

  • Volume I, publicado em março de 1971, com 1.176 páginas e abrange os anos de 260 - 395.[2]
  • Volume II, publicado em outubro de 1980, com 1.355 páginas e abrange os anos de 395 - 527.[3]
  • Volume III, publicado em novembro de 1992, com 1.626 páginas e abrange os anos de 527 - 641.[4]

O projeto da Prosopografia do Mundo Bizantino tem como objetivo ampliar a cobertura até o ano de 1265.

A obra foi considerada uma realização monumental e um grande marco nos estudos prosopográficos. Embora algumas resenhas fizessem reparos a certas falhas e omissões, sua recepção foi extraordinariamente positiva e no geral esses problemas foram considerados de pouca importância em relação ao valor do conjunto, além de serem inevitáveis em trabalho de tais proporções. Tornou-se obra de referência obrigatória e as informações coligidas vêm desde então subsidiando uma quantidade de novos trabalhos.[5]

Referências

  1. Society for the Promotion of Roman Studies 1950, p. 189.
  2. «The Prosopography of the Later Roman Empire Volume 1. AD 260–395» (em inglês). Consultado em 13 de dezembro de 2013. 
  3. «The Prosopography of the Later Roman Empire Volume 2. AD 395–527» (em inglês). Consultado em 13 de dezembro de 2013. 
  4. «The Prosopography of the Later Roman Empire 2 Part Set Volume 3. AD 527–641» (em inglês). Consultado em 13 de dezembro de 2013. 
  5. Mathisen, Ralph. "Prosopography of the Later Roman Empire: Yesterday, Today and Tomorrow". In: Cameron, Averil (ed.). Fifty Years of Prosopography: The Later Roman Empire, Byzantium and Beyond. British Academy, 2003

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Society for the Promotion of Roman Studies (1950). «Prosopography of the Later Roman Empire». The Journal of Roman Studies. 40. doi:10.2307/298553