Prosopografia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


A palavra prosopografia vem do grego "prosopongrafhein" (prósopon= pessoa + grafhein= descrever).

O termo prosopografia é definido na literatura acadêmica como uma variante de estudo sociológica. Refere-se portanto ao estudo de biografias coletivas, ou seja,  das indicações sobre a origem, o status e evolução social bem como a situação patrimonial de indivíduos ou grupos de indivíduos, vinculado-os a nomes de pessoas ou outras designações. Não obstante, como a própria raiz etmológica da palavra indica, a prosopografia objetiva a descrição de indivíduos e seus grupos em um contexto social, histórico e antropológico.

A prosopografia portanto, é um método de pesquisa que combina os elementos da pesquisa biográfica com aqueles dos surveys das ciências sociais. A ideia é aplicar técnicas de pesquisa histórica para a montagem de perfis sociais, culturais ou políticos de diferentes grupos, elites ou profissões. Não se tendo o acesso a informantes – indisponíveis por morte ou distanciamento no tempo -, que poderiam oferecer os dados acerca do perfil de um grupo ou comunidade, a prosopografia reconstrói, recorrendo a uma extensa documentação e cotejando diferentes tipos de fontes históricas, os elementos que preenchem um quadro geral desse grupo. No estudo prosopográfico – ou das biografias coletivas -, o pesquisador define um grupo-alvo a ser estudado (os membros de uma associação profissional, os parlamentares de uma ou mais legislaturas, os membros de uma comunidade etc), faz o levantamento exaustivo da documentação biográfica existente sobre ele, constrói um quadro, ou banco de dados (metafonte) sobre os indivíduos do grupo e, a partir dele, aplica uma série de operações visando revelar as características coletivas do grupo [1]

Aprofundando o conceito de Prosopografia:

A prosopografia é o estudo da carreira de uma pessoa através da informação sobre ela constante em fontes históricas.[2] A pesquisa prosopográfica tem por objetivo desvendar os padrões de relações e atividades via estudo da biografia da coletividade.

O desenvolvimento da prosopografia pode ser dividido em duas escolas: a escola elitista e a escola de massas.[3] Em resumo, aqueles da escola elitista preocupam-se com a dinâmica de pequenos grupos e os temas de estudo são, via de regra, as elites de poder. A técnica se baseia em uma investigação detalhada da genealogia, dos interesses comerciais e políticos do grupo, para isto, é largamente utilizado o estudo de casos e pouco utilizado estudos estatísticos. Já a escola de massas é mais voltada para o estudo das massas e inspira-se nas ciências sociais. Os adeptos desta escola entendem que a história é determinada mais pelos movimentos da opinião popular do que pelas decisões das elites e são mais preocupados com a história social do que com a política e buscam investigar um rol mais amplo de questões.

As duas escolas, diferem significativamente em seus objetos de estudo e um pouco em métodos e pressupostos, mas ambas possuem maior interesse no grupo que nos indivíduos. As matérias-primas com as quais os estudos prosopográficos foram e são elaborados são principalmente de três grandes tipos: listas simples de nomes de ocupantes de certos cargos ou títulos ou qualificações profissionais ou educacionais; genealogias de famílias; dicionários biográficos inteiros, que são usualmente elaborados em parte com base nas duas primeiras categorias e em parte com base em uma variedade de fontes infinitamente mais ampla[3].

Etimologicamente, prosopografia significa a "descrição de uma pessoa" (do grego prosopon: «personagem de teatro»).[4][5]

Conceitos[editar | editar código-fonte]

Esse método tem uma base simples, qual seja, definir uma população a partir de um ou alguns critérios e estabelecer assim uma descrição bibliográfica cujas nuances possibilitarão traçar um perfil de sua dinâmica social, privada, pública, cultural, ideológica ou política[6].

Para os historiadores da antiguidade, a prosopografia era uma ciência auxiliar da história, cujo objetivo era o de estudar as biografias dos membros de uma categoria específica da sociedade, principalmente elites, sociais ou políticas.

Nesse ponto cabe a lição de Lawrence Stone, (STONE, 1971:46):

"A prosopografia é a investigação das características comuns do passado de um grupo de atores na história através do estudo coletivo de suas vidas. O método empregado é o de estabelecer o universo a ser estudado e formular um conjunto uniforme de questões – sobre nascimento e morte, casamento e família, origens sociais e posições econômicas herdadas, lugar de residência, educação, tamanho e origens das fortunas pessoais, ocupação, religião, experiência profissional etc. Os vários tipos de informação sobre indivíduos de um dado universo são então justapostos e combinados e, em seguida, examinadas por meio de variáveis significativas. Essas são testadas a partir de suas correlações internas e correlacionadas com outras formas de comportamento e ação."

Por metonímia, prosopografia refere também o livro em que personagens são ordenados alfabeticamente e os registos individuais, com uma descrição das características selecionadas para o estudo.

Referências

  1. http://www.revistahcsm.coc.fiocruz.br/prosopografia-se-destaca-como-metodo-para-investigar-profissoes-cientificas-e-da-saude/
  2. ENCARNAÇÃO, José de. Introdução ao Estudo da Epigrafia Latina. Coimbra, Instituto de Arqueologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 1997,
  3. a b Stone, Lawrence. «Texto fundamental prosopografia». Revista de Sociologia e Política. doi:10.1590/S0104-44782011000200009 
  4. http://michaelis.uol.com.br/busca?id=RQ5Gv
  5. Consulta em 11/11/2012: http://houaiss.uol.com.br/busca?palavra=prosopografia Consulta em 11/11/2012.
  6. http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1300892678_ARQUIVO_anpuhsp2011.pdf