Rômulo Argentieri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde julho de 2011). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.

Rômulo Argentièri (Amparo - 1916Carnaúba dos Dantas, 1995) foi um cientista e astrofísico brasileiro, pioneiro no estudo da física nuclear no Brasil.

Cursou o ensino básico no Colégio de São Benedito, em sua cidade natal, período em que conheceu, na vizinha Lindoia, a cientista Marie Curie, da qual viria a ser seu aluno na Escola de Física e Química de Paris. Correspondia-se, frequentemente, com os cientistas Werner von Braun e Albert Einstein.

No final de década de 1940, Argentiere trabalhou como consultor do Exército Brasileiro no tocante à manipulação de minérios radioativos. Em 1950, foi redator do anteprojeto que criaria, posteriormente, a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN).

Embora trabalhasse para o governo, Argentiere possuía ressalvas quanto ao programa nuclear brasileiro, sobretudo às usinas de Angra dos Reis.

Possuía especial apreço pelo Nordeste do país, onde esteve pela primeira vez em 1943, enviado pelo governo de Getúlio Vargas no acompanhamento de cientistas norte-americanos na busca de minérios para a indústria bélica estadunidense.

Rômulo Argentieri consagrou-se como escritor na área científica, possuindo cerca de 30 títulos e mais de 3 milhões de exemplares vendidos.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ALVES,Milton Schivani,in Rômulo Argentièri:Contribuições para a astronomia, Ed.Ceamig 2006.
  • COLI,Guilherme Mantovani, in Jornal A Miniatura- Ano IV Nº42 - Amparo - Junho de 2011.
  • Revista Super Interessante Edição 183 (Por Pablo Villarrubia Mauso).
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.