R. H. Tawney

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
R. H. Tawney

Richard Henry "R. H." Tawney (Calcutá, Índia, 30 de novembro de 1880Londres, 16 de janeiro de 1962) foi um historiador econômico,[1] [2] crítico social,[3] [4] e socialista cristão inglês.[5] [6] e um proponente importante da educação de adultos.[7] [8] O The Oxford Companion to English Literature (1997) cita que Tawney teve um "impacto significativo" em todos esses papéis inter-relacionados".[9]

O historiador acadêmico[editar | editar código-fonte]

Primeiro importante trabalho como historiador foi The Agrarian Problem in the Sixteenth Century (1912).[10] De 1917 a 1931, foi professor na London School of Economics (LSE).[11] Em 1926, ele ajudou a fundar a Sociedade de História Econômica com Sir William Ashley, entre outros, e se tornou o editor conjunto de sua revista, The Economic History Review.[12]

De 1931 até sua aposentadoria em 1949, ele foi professor de história econômica na LSE[1] e Professor Emérito depois de 1949. Ele era Doutor Honoris Causa das universidades de Oxford, Manchester, Birmingham, Sheffield, Londres, Chicago, Melbourne e Paris.[13]

As obras históricas de Tawney refletem suas preocupações éticas e com a história econômica. Ele era profundamente interessado na questão agraria na zona rural inglesa durante os séculos XVI e XVII e, na tese de Max Weber sobre a relação entre o surgimento do protestantismo e a ascensão do capitalismo.

Religion and the Rise of Capitalism (1926) foi a sua obra clássica[14] e fez sua reputação como um historiador.[15] Ele explorou a relação entre o protestantismo e o desenvolvimento econômico nos séculos XVI e XVII. Tawney "lamentou a divisão entre o comércio e a moralidade social provocada pela Reforma Protestante, levando a subordinação da doutrina cristã para a busca da riqueza material".[16]

Crítica social[editar | editar código-fonte]

Dois dos livros de Tawney destacam-se pela crítica social:[15] The Acquisitive Society (1920),[17] e Equality em (1931).[18] No primeiro, um de seus mais lidos livros,[12] ele criticou o individualismo egoísta da sociedade moderna. O capitalismo, ele insistiu, incentiva a ganância e, assim, corrompe todos. No último livro, Tawney defende uma sociedade igualitária.

Em 1906, Tawney ingressou na Sociedade Fabiana que defendia uma mudança gradual para o socialismo em vez de uma mudança revolucionária,[19] sendo eleito como membro executivo para o biênio 1921-1933.[4]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • The Agrarian Problem in the Sixteenth Century (1912), London: Longman, Green and Co.
  • The Acquisitive Society (1920), New York, Harcourt Brace and Howe (1920); Mineola, NY, Dover (2004) ISBN 0-486-43629-2
  • Secondary Education for All (1922)
  • Education: the Socialist Policy (1924)
  • Religion and the Rise of Capitalism (1926), Mentor (1953) ISBN 0-7658-0455-7, Peter Smith (1962)
  • Equality (1931) ISBN 0-04-323014-8
  • Land and Labour in China (1932).
  • The Radical Tradition: Twelve Essays on Politics, Education and Literature, (1964), Harmondsworth, Penguin, ISBN 0-14-020834-8

Referências

  1. a b Magnus Magnusson (ed.) (1996, quinta ed.), Chambers Biographical Dictionary, Chambers, Edinburgh, ISBN 0-550-16041-8 paperback, p. 1435
  2. Rose Benét, William (1988, terceira ed.). The Reader’s Encyclopedia (London: Guild Publishing (by arrangement with A.C. Black)). p. 961. «One of the foremost students of the development of capitalism.» 
  3. Nicholls, C.S. (1996). The Hutchinson Encyclopedia of Biography (Oxford: Helicon). p. 836. ISBN 1-85986-157-1. 
  4. a b Thane, Pat (2001). Cassell’s Companion to Twentieth Century Britain (London: Cassell & Co.). p. 377 - 378. ISBN 0-304-34794-9. «Tawney remained an influential social thinker from the interwar years through to the 1950s.» 
  5. Gardiner, Juliet (ed.); et al. (1995). The History Today Companion to British History (London: Collins & Brown). p. 734. ISBN 1-85585-261-6. 
  6. Ormrod, David (1990). Fellowship, Freedom & Equality: Lectures in Memory of R.H. Tawney (London: Christian Socialist Movement). p. 9. ISBN 0-900286-01-6. «Tawney’s was undoubtedly the most forceful and authentic voice of Christian socialist prophecy to be raised during the 1920s and 30s, echoing into the 1950s.» 
  7. Drabble, M.(ed.) (1987), The Oxford Companion to English Literature, Oxford University Press, Oxford, p. 965
  8. Elsey, B. (1987) "R. H. Tawney – Patron saint of adult education", in P. Jarvis (ed.) Twentieth Century Thinkers in Adult Education, Croom Helm, Beckenham: Tawney is “the patron saint of adult education”
  9. Cannon, John (ed.) (1997). The Oxford Companion to British History (Oxford: Oxford University Press (Softback Preview ed.)). p. 909. 
  10. William Rose Benét (1988) p. 961
  11. Drabble, M. (1987) p. 996
  12. a b Nicholls, C.S. (1996) p. 836
  13. Tawney, R. H. (1977). Religion & the Rise of Capitalism (Harmondsworth: Pelican (Penguin Books)). pp. inside page. 
  14. Rose Benét, W. (1988) p. 961
  15. a b Cannon, John (1997) p. 909
  16. Foote, Geoffrey (1997, third ed.). The Labour Party’s Political Thought: A History (London: Macmillan Press). p. 74. ISBN 0-333-66945-2. 
  17. Adrian Hastings; (1991, third ed.), A History of English Christianity 1920- 1990, SCM Press, London, ISBN 0-334-02496-X paperback, p. 184
  18. Foote, G. (1997) p. 76
  19. Edward R. Pease, A History of the Fabian Society - The Origins of English Socialism New York: E.P. Dutton & Co., 1916. ISBN 978-1934941324 (ed. de Agosto de 2008)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: R. H. Tawney
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.