Raduano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Raduano
Sultão de Alepo
Reinado 1095-1113
Antecessor(a) Tutus I
Sucessor(a) Alparslano Alacras
 
Dinastia Seljúcida
Nascimento 1077[1]
Morte 1113
Pai Tutus I
Religião Islamismo

Facre Almuque Raduano (em árabe: فخر الملك رضوان; romaniz.: Fakhr al-Mulk Radwan),[2] melhor conhecido só como Raduano (em latim: Raduanus), Raduão,[3] Riduão[4] ou Ruduão,[5] foi um nobre da dinastia seljúcida que tornar-se-ia sultão de Alepo em 1095, com a morte de seu pai Tutus I (r. 1078–1095),[6] e que reinou até seu assassinato em 1113.[7]

Referências

  1. Maalouf 1984, p. 22.
  2. Blin 2019, p. 326.
  3. Sanceau 1961, p. 399.
  4. Peirone 1962, p. 136.
  5. Cruz 1903, p. 136.
  6. Bosworth 1968, p. 108.
  7. Richards 2007, p. 164.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Blin, Arnaud (2019). War and Religion: Europe and the Mediterranean from the First through the Twenty-first Centuries. Oaclândia, Califórnia: Imprensa da Universidade da Califórnia 
  • Bosworth, C. E. (1968). «The Political and Dynastic History of the Iranian World (A.D. 1000–1217)». In: Frye, R. N. The Cambridge History of Iran, Volume 5: The Saljuq and Mongol periods. Cambrígia: Imprensa da Universidade de Cambrígia. pp. 1–202. ISBN 0-521-06936-X 
  • Cruz, Bernado da (1903). Chronica d'el-rei D. Sebastião, Volume 1. Lisboa: Escriptório 
  • Maalouf, Amin (1984). The Crusades Through Arab Eyes. Traduzido por Jon, Rothschild. Nova Iorque: Schocken Books 
  • Peirone, Frederico José (1962). Cristo no Islão: ensaio para uma cristologia islâmica. Lisboa: Junta de Investigações do Ultramar 
  • Richards, D. S. (2007). The Chronicle of Ibn al-Athīr for the Crusading Period from Al-Kāmil Fī'l-ta'rīkh, Part 2: The Years 491–541/1097–1146, The Coming of the Franks and the Muslim Response. Aldershot: Ashgate. ISBN 978-0-7546-4078-3 
  • Sanceau, Eliane (1961). Castelos em África. Traduzido por Santos, José Francisco dos. Porto: Livraria Civilização