República Socialista Eslovaca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Slovenská republika
República Socialista Eslovaca (1960–1990)
Slovenská socialistická republika
República Eslovaca (1990–1992)

República federal da República Socialista da Checoslováquia (1969-1990) e da República Federal Checa e Eslovaca (1990-1993)

Flag of the Czech Republic.svg
1969 – 1993 Flag of Slovakia.svg
Flag Brasão
Bandeira (1990-1992) Brasão de armas (1960-1990)
Hino nacional
Nad Tatrou sa blýska


Localização de Eslováquia
República Socialista Eslovaca dentro da República Socialista da Checoslováquia
Continente Europa
País Checoslováquia
Capital Bratislava
Governo república socialista (1968–1989)
república parlamentarista (1989–1992)
Legislatura Conselho Nacional Eslovaco
História
 • 1 de Janeiro de 1969 Lei Constitucional da Federação
 • 17 de novembro - 29 de dezembro de 1989 de Revolução de Veludo
 • 1 de Janeiro de 1993 Independência

República Socialista Eslovaca foi uma entidade territorial da República Socialista da Checoslováquia que existiu de 1969 a 1990, e compreende a atual Eslováquia.

Após a ocupação soviética de 1968, as reformas empreendidas pelo governo de Alexander Dubcek foram abolidas, com exceção a de converter a República Socialista da Checoslováquia em um Estado federal. O país foi dividido em duas repúblicas: a República Socialista Checa e a República Socialista Eslovaca pela Lei Constitucional da Federação, aprovada em 28 de outubro de 1968 e que entraria em vigor em 1 de janeiro de 1969. Foram criados novos parlamentos nacionais (o Conselho Nacional Checo e o Conselho Nacional Eslovaco) e o parlamento nacional foi rebatizado de Assembleia Federal e dividido em duas câmaras: a Casa do Povo e a Casa das Nações. Foi igualmente aprovado um complexo sistema eleitoral para a sua eleição. [1]

Após a queda do regime na Revolução de Veludo de 1989 seria retirada a denominação de “socialista” e a República Socialista Eslovaca tornou-se a República Eslovaca, mas ainda dentro da Checoslováquia. O complexo sistema eleitoral (onde de facto havia cinco órgãos diferentes, cada um com poder de veto) manteve-se, dificultando e retardando decisões políticas durante a transição para uma economia de mercado. Em 1993, devido à dissolução da Checoslováquia, a República Eslovaca tornou-se um Estado independente.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Juan Manuel Gigli - El "Divorcio de Terciopelo": Determinantes y Evolución. - Revista de Relaciones Internacionales

Ligações externas[editar | editar código-fonte]