Máxima (revista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Revista Máxima)
Ir para: navegação, pesquisa
Máxima
Editor Victor Civita Neto (Presidente)[1]
Equipe editorial Thomaz Souto Corrêa (Vice-Presidente), Elda Müller, Fábio Colletti Barbosa, Jairo Mendes Leal, José Roberto Guzzo[1]
Frequência Mensal
Editora Editora Abril
Circulação Total: 185.272 (em 2013)[2]
Categoria Revista feminina
País Brasil
Idioma Português
Primeira edição 1989
Revista Máxima

Máxima é uma publicação mensal brasileira da Editora Abril.[2][nota 1] A revista é voltada à mulher da nova classe média brasileira e tem o intuito de aumentar sua autoestima e fazer com que atinjam seu potencial máximo na vida moderna.[2] Em novembro de 2013, a revista tinha uma tiragem mensal de 185.272 exemplares (50.608 dos quais assinantes) ao valor para o leitor de 4,90 reais cada.[2] Em 2014 contava com as seções Moda, Beleza, Cabelos, Saúde, Bem-estar, Dieta, Culinária, Casa, Trabalho, Família, Bebê, Amor e sexo e Novelas e famosos.[1]

Numa pesquisa de 2013, 69% das leitoras de Máxima tinham entre 20 e 49 anos de idade, 52% eram constituídos de mulheres casadas, 51% tinham renda familiar entre 1.401 e 5.250 reais e 69% trabalhavam fora de sua residência.[2]

História[editar | editar código-fonte]

A publicação foi inicialmente criada em 1989 e já era voltada ao público feminino, oferecendo informações sobre moda, beleza, atualidades, comportamento, horóscopo, entre outras. Dessa época, um dos exemplares mais célebres foi a Máxima nº 3, de 1989, em cuja capa figurava a top model Adriana de Oliveira. No início dos anos 90, a redação da revista foi encerrada e a editora reaproveita seus jornalistas em outros projetos.

Após um hiato de quase vinte anos, a Editora Abril decidiu relançá-la em junho de 2010, convidando para estrelar a primeira capa a atriz Flavia Alessandra.[2] Nos meses seguintes figuraram em suas capas outras celebridades, como Ana Hickmann, Paola Oliveira, Leandra Leal, Patrícia Poeta, Guilhermina Guinle e Luiza Brunet.[2]

Em julho de 2014 a Editora Abril comunicou a transferência da Máxima e de mais nove de seus títulos de revistas para a Editora Caras.[4] Tais transferências se referiam às revista “Aventuras na História”, “Bons Fluidos”, “Manequim”, “Minha Casa”, “Minha Novela”, “Recreio”, “Sou+Eu”, “Vida Simples” e “Viva Mais”.[4] De acordo com o comunicado, a Editora Caras passará a ser responsável pela produção de conteúdo, circulação e venda de publicidade da Máxima e dessas revistas.[5] Contudo, os serviços de assinaturas, distribuição e gráfica continuarão a ser prestados pelo Grupo Abril, visto qeu as duas editoras são parceiras.

Notas

  1. Em Portugal, há uma revista homônima editada pela Cofina Editores.[3]

Referências

  1. a b c Adm. do sítio web (2010). «Revista Máxima». M de Mulher. Consultado em 15 de março de 2014 
  2. a b c d e f g Adm. do sítio web (2010). «Revista Máxima — perfil». Editora Abril — Publiabril. Consultado em 15 de março de 2014 
  3. Cofina.pt (2013). «Revista Máxima». Máxima Portugal. Consultado em 15 de março de 2014 
  4. a b Da redação (11 de julho de 2015). «Editora Abril transfere dez títulos para a Editora Caras». Valor Econômico. Consultado em 4 de outubro de 2015 
  5. Da redação (11 de junho de 2014). «Abril transfere dez revistas para a Editora Caras». G1 Economia. Consultado em 4 de outubro de 2015 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma revista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.