Rio Kunar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rio Kunar
Kunarriver.jpg

Rio Kunar na vila de Bar Kashkot, província de Nangarhar, Afeganistão.

Localização
País
Localização
Altitude
534 mVisualizar e editar dados no Wikidata
Coordenadas
Dimensões
Comprimento
480 km
Hidrografia
Tipo
Bacia hidrográfica
Área da bacia
26 000 km2Visualizar e editar dados no Wikidata
Afluentes
principais
Bashgal River (en), Pech River (en)Visualizar e editar dados no Wikidata
Caudal médio
367 m3/sVisualizar e editar dados no Wikidata
Foz

O rio Kunar (em pachto: کونړ سيند) é um rio com 480 quilômetros de extensão, localizado no leste do Afeganistão (província de Kunar) e noroeste do Paquistão (Khyber Pakhtunkhwa). Drena uma bacia hidrográfica de cerca de 26 000 quilômetros quadrados, e seu sistema fluvial se origina nos glaciares e na neve das montanhas do Indocuche.

O rio se origina no extremo norte do distrito de Chitral, no Paquistão; até Mastuj é conhecido como rio Yarkhun, e dali até sua junção com o rio Lutkho, a norte do importante centro regional de Chitral, passa a se chamar rio Mastuj.[1] Passe a partir daí a se chamar rio Chitral, antes de tomar a direção sul até o alto vale do Kunar, no Afeganistão, onde recebe o mesmo nome.

O Kunar desagua na margem esquerda do rio Cabul, a leste da cidade afegã de Jalalabad. O rio surgido desta confluência, então, toma o rumo leste para dentro do Paquistão, onde se junta ao rio Indo, na cidade de Attock.

Um estudo do ACNUR, em 1990, respeitante à quantidade de água potável na zona do rio Kunar, no distrito da província de Kunar, Afeganistão, revelou que 60% dos habitantes do distrito consomem a água não-potável deste rio.[2]

Referências

  1. Pakistan & the Karakoram. [S.l.]: Lonely Planet. 2008. p. 233 
  2. «Cópia arquivada» (PDF). Consultado em 7 de março de 2011. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016