Roberto Frederico Zichacha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Roberto Frederico Zichacha
Cidadania Portugal
Ngungunhane (sentado à esquerda), Godide (de pé com a mão no ombro do pai), Molungo (sentado) e Zixaxa (de pé), no dia do baptismo do grupo (16 de abril de 1899).

Zichacha, baptizado como Roberto Frederico Zichacha, ou Zixaxa (Fumó, Império de Gaza c. 1869Angra do Heroísmo, ilha Terceira, 13 de Novembro de 1927), foi Régulo de Fumó e filho de Ngungunhane, monarca da Dinastia Jamine e último imperador do Império de Gaza, no território que actualmente é Moçambique.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Roberto foi feito prisioneiro por Joaquim Augusto Mouzinho de Albuquerque no território de Chaimite, aldeia sagrada dos nguni, no dia 28 de Dezembro de 1895 juntamente com o seu pai Ngungunhane, e as esposas deste. Neste acontecimento foram feitos também prisioneiros os irmãos de Roberto, António da Silva Pratas Godide, José Frederico Molungo.

No ano seguinte, em 6 de Janeiro de 1896, foram entregues aos cuidado do então Governador Geral de Moçambique, tendo seguidamente sido mandados a bordo do navio “África”, em que embarcaram no dia 12 de Janeiro para a Metrópole, tendo chegado a Lisboa no dia 13 de Março tendo sido de imediato alojados no Forte de Monsanto.

Foram mandados para a ilha Terceira, Açores, no dia 22 de Junho a bordo da canhoeira “Zambeze”, tendo chegado à cidade de Angra do Heroísmo às 16 horas do dia 27 de Junho, tendo de imediato sido levados para o Fortaleza de São João Baptista onde viveram até á dia da sua morte.

Roberto foi batizado, com cerimónia presidida pelo Bispo de Angra, D. Francisco José Ribeiro de Vieira e Brito, como cristão na Igreja de São Salvador, Sé Catedral de Angra e sede do Bispado dos Açores no dia 16 de Abril de 1899, sento tido como padrinho de batismo José Pimentel Homem de Noronha e como madrinha D. Francisca Bettencourt Rocha da Silva. Foi neste Batismo que recebeu o nome de Roberto Frederico.[1]

Findo o batismo foi juntamente com os seus companheiros de prisão para a capela-mor do referido templo onde lhe foi ministrado o Crisma. Neste acto teve como padrinho o Dr. João Álvaro de Brito Albuquerque, então reitor do Liceu de Angra.[2]

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Casou com Maria Augusta, filha de João de Sousa, natural da Ribeirinha, e de Francisca Vila d´Amigo, natural de Espanha de quem teve:

  1. Roberto Francisco Zixaxa

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Genealogias da ilha Terceira de António Ornelas Mendes e Jorge Forjaz. Vol. IX Pág. 837 Dislivro Histórica, 2007
  2. Genealogias da ilha Terceira de António Ornelas Mendes e Jorge Forjaz. Vol. VI Pág. 506 Dislivro Histórica, 2007

Ligações externas[editar | editar código-fonte]