Torre da Rússia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Russia Tower)
Ir para: navegação, pesquisa
Torre da Rússia
Башня Россия
Moscou, Rússia
Status Nunca iniciado
Uso Uso Misto
Altura
Telhado 600 m (1,969 ft)
Último andar 500 m (1,640 ft)
Características
Elevador 101
Área 520,000 m²
Custo $2 bilhões
Construção
Arquiteto Foster + Partners
Desenvolvedor STT Group
Proprietário STT Group
Engenheiro Halvorson and Partners

A Torre da Rússia (em russo: Башня Россия Bashnya Rossiya) é um arranha-céu em Moscou, Rússia cuja construção nunca chegou a ser iniciada[1]. A construção esteve planeada para começar em setembro de 2007 e concluída em 2011, depois 2016. Ao alcançar a sua altura final de 600 metros (1,969 ft) seria o edifício mais alto da Europa e o terceiro mais alto do mundo. O projeto foi suspenso em 2008 e cancelado em 2009, devido à crise financeira.

A área total da estrutura iria abranger 520 000 m² dos quais 38% (200000 m²) localizados no subsolo. A torre teria 118 andares, 101 elevadores e um estacionamento no subsolo para acomodar 3680 automóveis. Lojas comerciais seriam localizadas na base do edifício. A capacidade máxima do edifício estava projetada para cerca de 30 000 pessoas.

História do projeto[editar | editar código-fonte]

Originalmente, a Torre da Rússia foi proposta para ser construída nos lotes 2 e 3 do Moscow International Business Center em 1994, como o prédio mais alto do mundo com 648 m (2,126 ft) de altura, e 125 andares. Ele foi projetado pela firma de arquitetura baseada em Chicago, Skidmore, Owings and Merrill. Logo foi transferido para o lote 14. Em meados de 2003 uma atualização de 648 m (2126 ft), com 134 andares, e novo design, tinha sido transferido para os lotes 17 e 18. Em janeiro de 2004, a Moscow Development Company (STT Group), foi nomeada como o principal investidor e desenvolvedor dos US$ 2 bilhões-projeto.[2]

No dia 18 de setembro de 2007 a pedra fundamental do edifício foi lançada em uma cerimônia oficial inovadora. O projeto foi suspenso no ano seguinte e cancelado em 2009, devido à crise financeira.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]