Síndrome hipereosinofílica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Síndrome hipereosinofílica
Classificação e recursos externos
CID-10 D72.1 (ILDS D72.12)
CID-9 288.3
OMIM 607685
MeSH D017681
Star of life caution.svg Aviso médico

Síndrome hipereosinofílica é uma doença caracterizada por elevação persistente na contagem sanguínea de eosinófilos (≥ 1500 eosinófilos/mm³) por pelo menos seis meses, sem que haja causa reconhecível. A doença pode aparecer em qualquer idade, mas é mais frequente nos homens com mais de 50 anos.

Uma quantidade elevada de eosinófilos pode lesar o coração, os pulmões, o fígado, a pele e o sistema nervoso. O coração pode inflamar-se, engendrando um quadro de endocardite de Löffler, com a formação de coágulos de sangue, insuficiência cardíaca ou mau funcionamento das válvulas cardíacas.[1]

Referências

  1. Manual Merck. Capítulo 156: "Perturbações dos glóbulos brancos". "Síndroma hipereosinofílica idiopática"

Ligações externas[editar | editar código-fonte]