Saadia Gaon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saadia Gaon
Nascimento julho de 882
Faium (Califado Abássida)
Morte 21 de maio de 942
Sura (Califado Abássida)
Cidadania Califado Abássida
Ocupação rabino, tradutor, poeta, filósofo, lista de tradutores da Bíblia, filólogo, Posek
Obras destacadas Tafsir
Religião Judaísmo

Ben Josef al Faium, ou ainda, Saadia Gaon (סעדיה גאון- o chefe; Faium, Egito, 892 d.C. – Sura 943 d.C.[1]) foi um filósofo, tradutor, linguista, exegeta e poeta judeu, do período dos Gueonim. Em 928, tornou-se chefe (Gaon) da Escola de Sura, por iniciativa das autoridades judaicas superiores da Babilônia.[2]

Ideologicamente contrário ao rigor e à tradição do caraísmo, defendeu uma interpretação da lei judaica segundo a forma humanizante dos talmudistas. Em virtude de suas reflexões sobre as relações entre a religião e a filosofia, passou a ser considerado o primeiro filósofo do Judaísmo.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Livro das crenças e das opiniões (Kitab al-amanat wab-l'tikadad), traduzida para o hebraico por Yehudá ibn Tibon, sob o título Sefer ha-Emunoth Vedeot (1186);
  • Dicionário (Agron),considerado o primeiro dicionário hebraico e uma tradução das Escrituras para o árabe.

Referências

  1. Segundo alguns, teria nascido em 884, falecendo em 944 ou 942
  2. Nissan Mindel. «Rabbi Saadia Gaon - (4642-4702; 882-942) - The Age of Scholarship» (em inglês). Consultado em 12 de novembro de 2012 


Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.