Samuel Wallis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Retrato de Samuel Wallis por Henry Stubble, c. 1785.

Samuel Wallis (23 de abril de 1728 - 21 de janeiro de 1795 em Londres) foi um oficial da marinha britânica e explorador do Oceano Pacífico que fez a primeira visita registrada de um navegador europeu ao Taiti.

Dolphin e Swallow desenhados por Samuel Wallis, c. 1767.
O capitão Wallis enfrenta a hostilidade dos taitianos.
Memorial a Samuel Wallis e à tripulação na Catedral de Truro, na Cornualha.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Wallis nasceu em Fenteroon Farm, perto de Camelford, Cornwall. Ele serviu sob o comando de John Byron e, em 1757, foi promovido a capitão e recebeu o comando do HMS Dolphin como comandante de uma expedição acompanhada por Philip Carteret no HMS Swallow com a missão de circunavegar o globo. Como foi noticiado na imprensa, ele também foi encarregado de descobrir o Continente Meridional. Os dois navios foram separados por uma tempestade logo após navegarem pelo Estreito de Magalhães. Em junho de 1767, a expedição fez o primeiro desembarque europeu no Taiti, que ele chamou de "Ilha do Rei Jorge III" em homenagem ao rei. O próprio Wallis estava doente e permaneceu em sua cabine, então o tenente Tobias Furneaux foi o primeiro a pisar, erguendo uma flâmula e virando um gramado, tomando posse em nome de Sua Majestade. Ele descreveu o Tahiti como tendo um clima muito bom e a ilha sendo "um dos lugares mais saudáveis ​​e deliciosos do mundo".[1][2][3]

Dolphin ficou em Matavai Bay, no Taiti, por mais de um mês. Wallis nomeou ou renomeou mais cinco ilhas nas Ilhas da Sociedade e seis atóis nas Ilhas Tuamotu, bem como confirmou as localizações de Rongerik e Rongelap nas Ilhas Marshall. Ele renomeou a ilha polinésia de Uvea como Wallis em homenagem a si mesmo, antes de chegar a Tinian nas Ilhas Marianas. Ele continuou para Batávia, onde muitos tripulantes morreram de disenteria, então via Cabo da Boa Esperança para a Inglaterra, chegando em maio de 1768.[2]

Após seu retorno à Inglaterra, Wallis foi capaz de passar informações úteis para James Cook, que deveria partir em breve para o Pacífico, e parte da tripulação do Dolphin navegou com Cook. Embora Cook carregasse um relatório oficial da circunavegação de Wallis, não se sabe se os dois se encontraram antes da partida de Cook em agosto de 1768.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. John Hawkesworth, An Account of the Voyages Undertaken by the Order of His Present Majesty for Making Discoveries in the Southern Hemisphere, Chapter VIII, p. 313
  2. a b Quanchi, Historical Dictionary of the Discovery and Exploration of the Pacific Islands, page 248
  3. The Public Ledger and The Gazetteer, 5 July 1766.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Glyndwr Williams, 'Wallis, Samuel (1728–1795)', Oxford Dictionary of National Biography, Oxford University Press, 2004; online edn, May 2005 accessed 10 Dec 2007
  • Quanchi, Max (2005). Historical Dictionary of the Discovery and Exploration of the Pacific Islands. [S.l.]: The Scarecrow Press. ISBN 0810853957 
  • Hawkesworth, John; Byron, John; Wallis, Samuel; Carteret, Philip; Cook, James; Banks, Joseph (1773), An account of the voyages undertaken by the order of His present Majesty for making discoveries in the Southern Hemisphere, and successively performed by Commodore Byron, Captain Wallis, Captain Carteret, and Captain Cook, in the Dolphin, the Swallow, and the Endeavour drawn up from the journals which were kept by the several commanders, and from the papers of Joseph Banks, esq, London Printed for W. Strahan and T. Cadell , Volume I, Volume II-III

Links externos[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Samuel Wallis