Serra dos Matões

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde agosto de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Nascente do Rio Corrente na Serra dos Matões, em Pedro II - PI

A Serra dos Matões é uma formação montanhosa brasileira existente no território do Estado do Piauí, no Nordeste brasileiro. É uma extensão do planalto da Ibiapaba, localizando-se nos seus contrafortes, no lado piauiense. Engloba os municípios de Pedro II e Domingos Mourão, na região norte do Estado e sua altitude máxima fica em torno dos 840 metros[1], nas proximidades dos povoados São João e Serra dos Matões, zona rural de Pedro II-PI, no entanto, possui elevações em torno dos 500 metros em sua maior parte, ficando a sede do município de Pedro II a cerca de 603 metros de altitude, o que lhe garante um clima um pouco mais ameno.

Sua face norte possui formação de cuesta com abrupta escarpa íngreme, ao passo que a leste, sul e oeste, ocorre suave declive. Está encravada numa faixa de transição entre os climas tropical típico e semiárido, de modo que o local apresenta vegetação de transição entre a caatinga arbórea (carrasco), cerrado e mata de cocais, com destaque para os carnaubais[2]. Em alguns pontos isolados da serra, próximos as escarpas íngremes, verifica-se a ocorrência de pequenos trechos de Mata Atlântica devido a umidade acumulada em função da altitude.[3]

Nas partes mais altas verifica-se a manifestação de vegetação arbustiva esparsa, denominada campos rupestres. Também em função da altitude, é comum que as temperaturas sejam mais amenas em relação ao resto do território piauiense, com media anual de 29 °C, chegando aos 15 °C nas partes mais altas da serra, nos meses de junho a agosto. Também não são raras a ocorrência de neblina e serração no período chuvoso, entre os meses de janeiro a maio.

No local existem nascentes de vários rios e riachos, com destaque para os rios corrente e dos matos. Boa parte da sua vegetação original já foi desmatada pela especulação imobiliária e pela agricultura tradicional com a prática de queimadas para preparação do solo para o plantio (agricultura de coivaras).

No ano de 2017 o governo estadual, através da Secretaria de Meio Ambiente e Recurso Hídricos, anunciou a intenção de criar um parque estadual para proteção ambiental do local, denominado Parque Estadual das Orquídeas, englobando boa parte da serra no município de Pedro II, especialmente o local onde está localizada a nascente do rio Corrente, contudo, a referida área de proteção ainda encontra-se em fase de estudos.

Referências

  1. http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/20/aeb_2014.pdf
  2. ROSA, D.B. As Jazidas de Opalas Nobres da Região de Pedro II no Estado do Piauí.Jundiaí. Paco Editorial. 2014. p.104.
  3. http://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2012/VI-035.doc.pdf

[1] [2]

[3]