Sikyong

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sikyong Tibete
Brasão do Tibete
No cargo
Lobsang Sangay (Lobsang Tenzin)

desde 8 de agosto de 2011
Residência Dharamsala,  Índia
Designado por Eleições democráticas
Duração 5 anos
Inaugurado por Lobsang Tenzin
Criado em 1959 (ref. 2001)
Website http://kalontripa.org
O Venerável Samdhong Rinpoche, Kalon Tripa, em 2006.

O Sikyong é o líder do Kashag («Conselho»), parte do braço executivo da Administração Central Tibetana, organização política de tibetanos exilados que reclama da República Popular da China o território da Região Autónoma do Tibete e o regresso do XIV Dalai Lama, Tenzin Gyatso ao governo de um Tibete independente, mas não administra nenhum território. É, de facto, o chefe do governo tibetano no exílio, com sede em Dharamsala, na Índia. Não deve ser confundido com o governador da região autónoma do Tibete, cargo oficial chinês ocupado presentemente por Qiangba Puncog.

O primeiro Kalon Tripa foi Lobsang Tenzin, eleito em 2001. Antes desta eleição democrática, o cargo era subordinado ao Dalai Lama1 que é o chefe de estado do governo tibetano no exílio.2

Referências

  1. The Charter of Tibetans in-Exile, Artigo 20, acesso 2010-03-19.
  2. The Charter of Tibetans in-Exile, Artigos 19, 30, & 31, acesso 2010-03-19.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]