Simbióticos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Os simbióticos referem-se a ingredientes alimentares ou suplementos dietéticos que combinam probióticos e prebióticos em uma forma de sinergismo, portanto, simbióticos.[1] O conceito simbiótico foi introduzido pela primeira vez como "misturas de probióticos e prebióticos que afetam beneficamente o hospedeiro, melhorando a sobrevivência e implantação de suplementos alimentares microbianos vivos no trato gastrointestinal, estimulando seletivamente o crescimento e / ou ativando o metabolismo de um ou de um número limitado de bactérias promotoras da saúde, melhorando assim o bem-estar do hospedeiro ".[2] Em 2018, a pesquisa sobre esse conceito é preliminar, sem evidências de alta qualidade de pesquisas clínicas de que tais benefícios existam.

Os simbióticos podem ser simbióticos complementares, em que cada componente é escolhido independentemente por seu efeito potencial na saúde do hospedeiro, ou simbióticos sinérgicos, em que o componente prebiótico é escolhido para apoiar a atividade do probiótico escolhido.[3] A pesquisa está avaliando se os simbióticos podem ser otimizados, (conhecidos como 'optibióticos'), que visam aumentar o crescimento e os benefícios dos probióticos existentes para a saúde.[4]

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Synbiotics».

Referências

  1. Pandey, Kavita. R.; Naik, Suresh. R.; Vakil, Babu. V. (dezembro de 2015). «Probiotics, prebiotics and synbiotics- a review». Journal of Food Science and Technology (12): 7577–7587. ISSN 0022-1155. PMC 4648921Acessível livremente. PMID 26604335. doi:10.1007/s13197-015-1921-1. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  2. Gibson, Glenn R.; Roberfroid, Marcel B. (1 de junho de 1995). «Dietary Modulation of the Human Colonic Microbiota: Introducing the Concept of Prebiotics». The Journal of Nutrition (em inglês) (6): 1401–1412. ISSN 0022-3166. PMID 7782892. doi:10.1093/jn/125.6.1401. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  3. Pandey, Kavita. R.; Naik, Suresh. R.; Vakil, Babu. V. (dezembro de 2015). «Probiotics, prebiotics and synbiotics- a review». Journal of Food Science and Technology (12): 7577–7587. ISSN 0022-1155. PMC 4648921Acessível livremente. PMID 26604335. doi:10.1007/s13197-015-1921-1. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  4. «Effects of Probiotics, Prebiotics, and Synbiotics on Human Health». Nutrients (em inglês) (9). 1021 páginas. 15 de setembro de 2017. ISSN 2072-6643. doi:10.3390/nu9091021. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  5. Thilakarathna, WPD Wass; Langille, Morgan GI; Rupasinghe, HP Vasantha (1 de abril de 2018). «Polyphenol-based prebiotics and synbiotics: potential for cancer chemoprevention». Current Opinion in Food Science. Food Microbiology * Functional Foods and Nutrition (em inglês): 51–57. ISSN 2214-7993. doi:10.1016/j.cofs.2018.02.011. Consultado em 31 de agosto de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.