Sinfonia n.º 2 (Shostakovich)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada. Foi sugerido que adicionasse esta.

A Sinfonia No. 2 em Si maior, do compositor soviético Dmitri Shostakovich (opus 14), também é conhecida como Para Outubro, para o décimo aniversário da Revolução de Outubro. Sua primeira performance ocorreu com a Orquestra Filarmônica de Leningrado e o Coral Capella da Academia, sob Nikolai Malko, no dia 5 de novembro de 1927. Shostakovich revisitou posteriormente os eventos da Revolução de Outubro com a sua Décima Segunda Sinfonia, intitulada de o Ano de 1917.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A sinfonia é um pequeno trabalho (aproximadamente vinte minutos) instrumentos em um movimento; esse movimento é dividido em quatro seções, a última inclui um coro. Shostakovich compôs sua Segunda Sinfonia em um gestual, uma forma geométrica "com uma música sem uma estrutura emocional", com o intúito de refletir os movimentos de fala e físicos em um estilo neorrealista[1].

  1. Largo
    Quis retratar o caos primordial do qual havia surgido, as vozes instrumentais mesclam-se nessa início polifônico de treze vozes, como impulsos liberados do vazio. Esta foi considerada a Klangflächenmusik[2].
  2. Semínima
    Um episódio meditativo que Shostakovich descreveu como "morte de uma criança"[3].
  3. Poco meno mosso = Allegro molto
  4. Coro: "Para Outubro"
    O coral final do trabalho traz um texto de Alexander Bezymensky, louvando Vladimir Lenin e a revolução[3].

Instrumentação[editar | editar código-fonte]

Madeiras
3 Flautas
2 Oboés
2 Clarinetes
2 Fagotes
Metais
4 Trompas
3 Trompetes
3 Trombones
Tuba
Percussão
Timpano
Bumbo
Caixa
Gongo
Prato
Triângulo
Sino
Sirene
Glockenspiel
Cordas
1ºs Violinos
2ºs Violinos
Violas
Violoncelos
Contrabaixos

Resumo[editar | editar código-fonte]

A Segunda e a Terceira sinfonias de Shostakovich têm sido criticadas eventualmente por incongruências em suas seções de orquestra experimental e mais convencionalmente, pelo coro final com propaganda a Lenin (Agitprop). Muito posteriormente, Shostakovich admitiu que entre suas quinze sinfonias, "duas eu acho que são completamente insatisfatórias - estas são a Segunda e a Terceira"[4][5].

A Segunda Sinfonia foi composta para incluir o poema de Alexander Bezymensky, que glorificava o papel de Vladimir Lenin na luta, em um estilo bombástico[6]. O culto de Vladimir Lenin, imposto pelos mais altos escalões do Partido, cresceu em proporções gigantescas nos anos imediatamente após sua morte[7]. O trabalho foi inicialmente intitulado Para Outubro, referindo-se como um Poema Sinfônico e Dedicação Sinfônica a Outubro. Tornou-se Para Outubro, uma Dedicação Sinfônica quando o trabalho foi publicado em 1927. Tornou-se conhecida como "sinfonia" consideravalmente depois[8].

O Espírito de Outubro[editar | editar código-fonte]

Durante a década de 1920 na Rússia, "Outubro" referia-se ao espírito da Revolução, que foi o novo mundo da liberdade e comunhão, atingindo do centro para a esquerda. A ideia política mais próxima dessa foi a concepão da doutrina de Trotskyite de "revolução permanente"[9].

Referências

  1. MacDonald, 49.
  2. Feuchtner, 8.
  3. a b MacDonald, 50.
  4. Schwarz, 17:266.
  5. Pis'ma k drugu, 278.
  6. Maes, 261.
  7. Volkov, Shostakovich and Stalin, 64.
  8. Fay, 40.
  9. MacDonald, 46.