Teologia histórica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Teologia histórica é o estudo da história da doutrina cristã. Grenz, Guretzki e Nordling a descrevem como "A divisão da disciplina teológica que busca entender e delinear como a igreja interpretou as Escrituras e desenvolveu a doutrina ao longo de sua história, desde o tempo dos apóstolos até o presente. A dupla função da teologia histórica é mostrar a origem e o desenvolvimento das crenças mantidas nos dias atuais e ajudar os teólogos contemporâneos a identificar erros teológicos do passado que devem ser evitados no presente ".[1]

Visão Geral[editar | editar código-fonte]

De acordo com Friedrich Schleiermacher, a teologia histórica é uma disciplina histórica, que aborda áreas da teologia usando métodos empregados no estudo de qualquer outro fenômeno histórico.[2] Isso se baseia na noção de que a teologia tem um ponto de partida histórico e não especulativo.[3] Por exemplo, a Bíblia e os escritos de concílios ecumênicos são considerados fontes históricas e seu conteúdo é tratado como relato de testemunhas.[4] Ele cobre a maior parte do que Schleiermacher denominou como o verdadeiro corpo da teologia e pode incluir teologia exegética, dogmática e História da Igreja.[2]

Como um ramo da teologia, investiga os mecanismos sócio-históricos e culturais que dão origem a ideias, declarações e sistemas teológicos. O campo enfoca a relação entre a teologia e seus contextos, bem como as principais influências teológicas ou filosóficas sobre as figuras e os tópicos estudados. Seu fundamento e objetivos metodológicos são semelhantes aos usados ​​pelos historiadores intelectuais que pesquisam a epistemologia histórica, particularmente aqueles como Matthew Daniel Eddy, que investiga as conexões culturais entre a teologia e outras disciplinas existentes no passado.[5]

Uma posição evangélica sustenta que a teologia histórica deve estar alinhada com a palavra de Deus ou que deve sempre fazer referência à Escritura.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Grenz, Guretzki, and Nordling (1999). Pocket Dictionary of Theological Terms. Downers Grove, IL: InterVarsity Press. 59 páginas 
  2. a b Chapman, Mark D. (30 de outubro de 2014). Theology and Society in Three Cities: Berlin, Oxford and Chicago, 1800-1914. Cambridge: James Clarke & Co. 33 páginas. ISBN 9780227902462 
  3. Schwarz, Hans (2005). Theology in a Global Context: The Last Two Hundred Years. Grand Rapids, Michigan: Wm. B. Eerdmans Publishing. pp. 11. ISBN 9780802829863 
  4. McBrien, Richard (2013). Catholicism: New Study Edition--Completely Revised and Updated. New York: Harper Collins Publishers. pp. 52. ISBN 006065404X 
  5. Eddy, Matthew Daniel (2016). «The Cognitive Unity of Calvinist Pedagogy in Enlightenment Scotland». In: Kovács, Ábrahám. Reformed Churches Working Unity in Diversity: Global Historical, Theological and Ethical Perspectives. Budapest: L'Harmattan. pp. 46–60 
  6. Grudem, Wayne A.; Allison, Gregg (27 de outubro de 2015). Systematic Theology/Historical Theology Bundle (em inglês). [S.l.]: Zondervan Academic. ISBN 9780310530008 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Teologia ou sobre um teólogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.