The Tamarind Seed

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Tamarind Seed
A semente de tamarindo (PT)
Sementes de tamarindo (BR)
 Reino Unido Estados Unidos
1974 •  cor •  119 min 
Direção Blake Edwards
Produção Ken Wales
Roteiro Blake Edwards
Evelyn Anthony (livro)
Elenco Julie Andrews
Omar Sharif
Gênero Romance
Espionagem
Música John Barry
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

The Tamarind Seed (br.: Sementes de Tamarindo/pt.: A Semente de Tamarindo) é um filme alnglo-americano de romance e espionagem de 1974 escrito e dirigido por Blake Edwards.[1] Baseado no romance homônimo de 1971 de Evelyn Anthony. Foi o primeiro filme produzido pela Lorimar Productions. A trilha sonora é de John Barry.[1]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Judith Farrow é uma secretária inglesa de órgão público que viaja em férias para Barbados após enviuvar e sofrer decepção amorosa com o amante casado, o ministro e capitão Richard Paterson. No hotel ela conhece Feodor Sverdlov, adido militar da embaixada soviética e vigiado de perto pelos agentes secretos britânicos, chefiados pelo astuto Jack Loder. Feodor conta a Judith a lenda local das sementes de tamarindo, que possuem o formato que lembram uma cabeça humana. Quando sabe dos encontros de Judith e Feodor, Loder imediatamente suspeita que os soviéticos sabem do caso dela com o ministro e pretendem chantageá-la para que espione para eles e passa a vigiá-la também. Ao mesmo tempo a Inteligência Britânica está empenhada em descobrir quem é o misterioso espião comunista conhecido como "Azul".

Produção[editar | editar código-fonte]

O romance foi publicado em 1971.[2]

A produção foi parcialmente financiada por Sir Lew Grade como parte de um acordo para dois filmes e o compromisso de Andrews para apresentar um programa de TV [3] (O outro filme seria Trilby.[4]).

Foi o primeiro filme de Julie Andrews depois de quatro anos, desde Darling Lili. Durante esse tempo ela estava casada com Blake Edwards e se concentrou em cuidar dos filhos.

"É um filme bonito" disse Andrews. "É bem apropriado para minha volta".[5]

Locações[editar | editar código-fonte]

The Tamarind Seed teve locações em Barbados, Eaton Square, Belgravia em Londres, Inglaterra e Paris, França.[6]

Recepção[editar | editar código-fonte]

  • O filme recebeu um Royal Command Performance [7]
  • Lew Grade disse que o filme foi bem nas bilheterias mas ele teve que se esforçar para arrecadar muito pois Blake Edwards e Julie Andrews retiveram grandes percentagens dos lucros (Andrews tinha 10% e Edwards 5% sobre o total das bilheterias).[3]
  • Na resenha de 1974 do Movietone News, Kathleen Murphy escreveu que o filme era um bom exemplar do conceito de "comunidade de dois" num cenário de complexas forças internacionais travando a Guerra fria [8] Murphy escreveu:
Citação: Caracteristicamente, o último bastião da estabilidade e decência reside na comunidade de dois, amantes cuja lealdade e comprometimento com o outro podem momentaneamente transcender— mas em última análise e superficialmente feito como jogos da Guerra Fria. Os jogos por si só estão se tornando familiar e previsivelmente niilista: significa que recursos são gastos para atingir fins cujos custos importam apenas para guarda-livros desconhecidos que controlam passivos e ativos com a espionagem internacional. ... O sistema mata—pelo confronto moral, ou violentamente, fisicamente—mas sempre há a abstração da segurança internacional ser melhor protegida por uma terrível despesa e desperdício de recursos humanos. Ao rebaixar a moeda moral que permite a homens e mulheres negociarem um com outro com um mínimo de confiança ou afeição, o mundo fica seguro para ... bem, não para pessoas mas... alguma coisa [8]

Murphy conclui que The Tamarind Seed volta ao gênero da "comunidade de dois" dentro de um genuíno artigo com "mudanças e remodelagens em nosso modo de pensar, sentir e ver".[8] No lugar, uma "nova percepção de realidade" transcende o confinamento do cinema e faz o caminho "mais ou menos definido, e menos compreensível, no território de nossas vidas".[8]

Indicações a prêmios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Brenner, Paul. «The Tamarind Seed». Allmovie. Consultado em 8 de março de 2013 
  2. (em tradução livre):"Eu mesmo poderia ter sido uma espiã.... O que eles propuseram era, eu pensei, extremamente perigoso e sendo uma covarde eu não aceitei: EVELYN ANTHONY conversa com CATHERINE STOTT The Guardian (1959-2003) [Londres (Reino Unido)] 06 de asgosto de 1971: 7.
  3. a b Lew Grade, Still Dancing: My Story, William Collins & Sons 1987 pg. 227
  4. Energetic Julie Andrews Takes on TV NORMA LEE BROWNING. Chicago Tribune (1963-Atual) [Chicago, Ill] 08 de outubro de 1972: n1.
  5. A Gee Rating for Julie in 'The Tamarind Seed': Gee Rating for Julie in 'Tamarind Seed' Hall, William. Los Angeles Times (1923-Atual) [Los Angeles, Calif] 01 de julho de 1973: n1.
  6. «Locations for The Tamarin Seed». Internet Movie Database. Consultado em 8 de março de 2013 
  7. Richard Harris is 99 44/100% recovered Norma Lee Browning. Chicago Tribune (1963-Atual) [Chicago, Ill] 06 de dezembro de 1973: c17.
  8. a b c d Murphy, Kathleen (Setembro de 1974). «A Community of Two: Blake Edwards's 'The Tamarind Seed'». Movietone News 35. Consultado em 9 de março de 2013 
  9. Awards Bafta Acessado em 21-08-16
Bibliografia
  • Anthony, Evelyn (1971). The Tamarind Seed. Londres: Hutchinson. ISBN 978-0091080402 
  • Wasson, Sam (2009). A Splurch in the Kisser: The Movies of Blake Edwards. Middletown: Wesleyan University Press. ISBN 978-0819569158 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]