Theia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Julho de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ilustração de Theia ao colidir com a Terra
Disambig grey.svg Nota: Se procura a titânide, veja Teia (mitologia). Se procura o rei dos Ostrogodos, veja Teia (rei).

Theia é o nome dado ao planeta que, de acordo com a teoria do Grande Impacto ou Big Splash, colidiu com a Terra num impacto que deu origem à Lua. Segundo esta hipótese, Theia formou-se por acreção planetária dentro da mesma órbita da Terra, mas a aproximadamente150 milhões de quilómetros (1 UA), no ponto lagrangiano L4. Theia permaneceu fixa nesta posição em harmonia com a Terra durante cerca de 20 a 30 milhões de anos. No entanto, à medida que o planeta crescia, as suas forças gravitacionais impeliam Theia para fora de L4.

Durante algum tempo o planeta descreveu uma órbita cíclica em ferradura, saindo de L4, mas logo puxado para trás pela força de Coriolis. A cada novo ciclo, Theia ganhava mais velocidade e alcançava uma distância maior de L4.[1][fonte confiável?]

Finalmente, já depois de ter desenvolvido estratificação interna, Theia adquiriu massa e dimensão semelhante a Marte, suficiente para escapar de L4 e entrou numa órbita caótica. A colisão com a Terra tornou-se inevitável, visto que ambos os planetas ocupavam a mesma órbita. Quando Theia chocou com a Terra a uma velocidade de 40 mil quilómetros por hora, o impacto foi suficiente para vaporizar o planeta. Parte substancial do seu núcleo ferroso afundou na Terra e integrou o núcleo terrestre. O restante material foi projectado para o espaço. A acreção dos destroços deu origem à Lua.[2][fonte confiável?]

Animações[editar | editar código-fonte]

Animação mostrando a criação da lua através de uma colisão entre a Terra e Theia; notar que Theia entra numa órbita instavel descrevendo epiciclos, até eventual colisão.
Outra animação mostrando a criação da lua através de uma colisão entre a Terra e Theia; notar que neste modelo (menos provavel) Theia apresenta instabilidade angular, que a leva a eventual colisão.

Referências

The Daily Galaxy

Ligações externas[editar | editar código-fonte]