Thierry Sabine

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Julho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Thierry Sabine
Thierry Sabine 2.jpg
Biografia
Nascimento
Morte
Visualizar e editar dados no Wikidata
Gourma-Rharous (en)Visualizar e editar dados no Wikidata
Cidadania
Atividades

Thierry Sabine (Neuilly-sur-Seine, 13 de junho de 1949 - Mali, 14 de janeiro de 1986) foi um motociclista de todo-terreno francês e organizador de provas desportivas. É conhecido, principalmente, por ser o criador e inspirador do rali “Paris-Dakar”.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Começou por criar, em 1975, o Enduro du Touquet, uma competição regional que, com o decorrer do tempo, teve grande desenvolvimento. Na sequência promoveu a Croisière Verte, um enduro que ligava Le Touquet a Sète por caminhos.

Em 1977 perdeu-se no deserto da Líbia, devido a uma tempestade de areia, quando participava no rali Abidjan-Nice, numa Yamaha XT 500. Depois de a fraca organização da prova ter encerrado as buscas, ao fim de três dias, sem combustível na moto, Sabine foi encontrado, no limite da desidratação, pelo piloto de uma pequena aeronave que lhe terá dito “meu amigo, daqui para a frente, tudo o que você viver será lucro”. Enquanto esteve perdido, apesar do seu sofrimento, estava apaixonado pelo deserto e prometeu que, se sobrevivesse, organizaria anualmente a maior prova de todo-terreno jamais vista, saindo da Europa e atravessando a África através do deserto, que mais tarde definiu como “um desafio para os que vão e um sonho para os que ficam”. Desde então consagrou a sua vida à organização do “Paris-Dakar”.

Morreu a 14 de janeiro de 1986, ao fim do dia, quando o helicóptero, a partir do qual dirigia o “Dakar”, embateu numa duna, no deserto do Mali, durante uma tempestade de areia. Foi erigida uma lápide em sua memória, no deserto do Ténéré, num lugar batizado “Árvore de Thierry Sabine” devido à acácia solitária que aí se encontra.