Tomás Inácio da Silveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Tomás Inácio da Silveira (Ilha do Faial, 1788Rio Grande do Sul,[quando?]) foi um educador e jornalista brasileiro.

Filho do tenente-coronel José Inácio da Silveira e de Silvéria Maria do Nascimento, era alfabetizador em Porto Alegre, em 1822, quando foi preso acusado de conspirar contra o regime, mas libertado logo em seguida. Também era professor de francês e inglês.[1]

Junto com Claude Dubreuil, era proprietário de uma tipografia localizada na rua da Praia nº 6 em Porto Alegre. Em 1829 eles fundaram o jornal O Amigo do Homem e da Pátria, que circulava terças e sextas-feiras, ao preço de oitenta réis o número avulso e 4 contos de réis a assinatura semestral.

Foi autor do primeiro livro impresso no Rio Grande do Sul, o Compêndio Aritmético ou taboada curiosa para meninos, com 24 páginas, impresso no Tipografia Riograndense.[1]

Referências

  1. a b BARRETO, Abeillard. Primórdios da Imprensa no Rio Grande do Sul. Comissão Executiva do Sesquicentenário da Revolução Farroupilha, Porto Alegre, 1986.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.