Triple Nine Society

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Triple Nine Society (TNS), fundada em 1978, é uma sociedade de alto Q.I. que reúne pessoas cujo nível de inteligência é igual ou superior a 99,9% da população geral, segundo aferido por um teste de QI formal, supervisionado e oficialmente reconhecido.[1][2] Tal nível equivale a um valor de QI de 146 (escala Wechsler) ou 173 (escala Cattell).[3] Em comparação, a popular sociedade de alto QI Mensa International seleciona no percentil 98, que equivale a um QI de 130 (escala Weschler) ou 148 (escala Cattell).

Em março de 2016, TNS possui aproximadamente 1.700 membros distribuídos em 50 países. A grande maioria deles está em Estados Unidos (aproximadamente 1.300 membros) e há grupos expressivos em França, Alemanha, Canadá e República Checa.

TNS publica a revista "Vidya", que inclui artigos, poesia e outras contribuições dos membros sobre uma variedade de tópicos, assim como relatórios da diretoria e outras matérias oficiais da sociedade. Os membros se relacionam entre si por meio de listas de e-mail e grupos em Facebook, Linkedin e outras redes sociais. Também, a sociedade realiza um encontro anual em Estados Unidos ("ggg999"), em outono, e outro em Europa ("egg999"), na primavera.

Na sua Constituição, TNS se compromete com "a amizade, a comunicação, a aventura da exploração intelectual, e uma maior realização de potencialidades individuais." Ainda, em 2015, TNS instituiu uma Fundação filantrópica para fornecer bolsas de estudo a alunos superdotados, educar a população geral sobre necessidades especiais de pessoas superdotadas, e outras obras de caridade.

Os membros de TNS tem se manifestado majoritariamente em favor do libertarismo, apoiando o livre mercado e contrários ao pagamento de imposto de renda.[4] Apoiam o porte de armas, restrições mínimas sobre os jogos de azar e a prostituição, e a descriminalização das drogas mantendo controles similares ao caso de bebidas alcoólicas e tabaco. Reprovam a participação do estado na saúde exceto em favor de pobres e idosos, e são favoráveis à legalização do aborto e ao suicídio assistido por médicos.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Cox, Jack (21 de junho de 2005). «Smarter than 99.9% of the rest of us». The Denver Post. Consultado em 31 de março de 2016. 
  2. Groeger, Lena (1 de novembro de 2012). «When high IQs hang out». Scientific American Mind. 23. Consultado em 3 de abril de 2016. 
  3. Hunt, Earl (2011). Human Intelligence. Cambridge: Cambridge University Press. ISBN 978-0-521-70781-7 
  4. «Super-IQ group calls for less government». Archive.is. 2000. Consultado em 12 de março de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]