Viarco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Viarco - Indústria de Lápis, Lda.
Logo da Fábrica Portuguesa de Lápis
Tipo Lda.
Fundação 1907 (110 anos)
(registrada em 1936)[1]
Fundador(es) Portugal Manoel Vieira Araújo
Sede S. João da Madeira
Presidente José Araújo[2]
Produtos Material para Artes Plásticas, Lápis de Grafite, Lápis de Cor e Lápis de Publicidade personalizados.
Antecessora(s) Portugália
Website oficial viarco.pt

Viarco é actualmente a única fábrica de lápis da Península Ibérica, localizada em São João da Madeira, Portugal.

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

A origem do fabrico de lápis em Portugal remonta ao ano de 1907. O Conselheiro Figueiredo Faria e o seu sócio e engenheiro francês Jules Cacheux tomam a decisão de construir, em Vila do Conde, uma unidade industrial de fabrico de lápis chamada Faria, Cacheux & Cª, igualmente conhecida por Portugália.[1]

Contudo, e apesar do sucesso da Portugália, a sua actividade económica foi grandemente afectada pela entrada de Portugal na Primeira Guerra Mundial, para além da Grande Depressão dos anos 1929 a 1931.[1]

Um novo começo[editar | editar código-fonte]

A história desta empresa Portuguesa teve o seu ponto de viragem em 1931. Manoel Vieira de Araújo, industrial experiente na área de chapelaria e uma empresário notável de São João da Madeira[1], com o objectivo de expandir a empresa Vieira Araújo & Cª, Lda, adquire a fábrica Portugália. Portugália era, até à data, a única fábrica Portuguesa de lápis.[3]

Em 1936, dá-se o registo da marca Viarco[1], nome actual da empresa Portuguesa.

Primeira década[editar | editar código-fonte]

A direcção da empresa foi entregue a António Vieira Araújo, filho de Manoel Vieira Araújo.[1] Como objectivos, encontravam-se a dinamização e renovação desta indústria de fabrico de lápis.

Assim, os primeiros anos da fábrica Viarco foram dedicados à investigação, aplicação de formulários, renovação de instalações e melhoramento dos métodos de produção, como vista a desenvolver o fabrico dos produtos já existentes bem como alargar a diversidade do fabrico de material.

Em 1941, as instalações da fábrica são movidas de Vila do Conde, Porto para São João da Madeira, Aveiro. São João da Madeira era igualmente a localização da sede da empresa Vieira Araújo & Cª, Lda. Muitos funcionários da fábrica de Vila do Conde tomaram também a decisão de se deslocarem para a nova localização da indústria.

Desenvolvimento da fábrica[editar | editar código-fonte]

As décadas seguintes foram dedicadas à continuação do desenvolvimento dos produtos da fábrica Viarco, acompanhando os desenvolvimentos tecnológicos que também se verificavam em outros países da Europa. Os lápis Viarco passaram a ser empregues em várias áreas de trabalho, quer seja em desenho ou escritório.

Na década de 70, a fábrica torna-se autónoma adquire finalmente o nome de Viarco – Indústria de Lápis, Lda.[1]

Produtos[editar | editar código-fonte]

Os produtos da marca Viarco são muito diversificados; entre eles encontram-se lápis de office escolar, de desenho profissional, de design personalizado.[4]

Entre as colecções próprias da Viarco, encontram-se a ArtGraf, a Turn It e os lápis Magneto's.

Objectivos[editar | editar código-fonte]

Actualmente, a Viarco tem por objectivo a recuperação de um edifício que alberga um extenso espólio de arqueologia industrial, no sentido de o adaptar para a recepção de visitantes, construindo o Museu do Lápis e ateliers com vista a formação de artistas em início de carreira.[1]

A Viarco é, nos dias de hoje, a única fábrica de lápis de Portugal, bem como de toda a Península Ibérica.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h i «História da Fábrica Portuguesa Viarco». viarco.pt/. Consultado em 8 de Setembro de 2011 
  2. «Instalações da fábrica Viarco - "50 Graus" (RTP. www.rtp.pt/. Consultado em 8 de Setembro de 2011 
  3. «Objectivos da Empresa Portuguesa Viarco». viarco.pt/. Consultado em 8 de Setembro de 2011 
  4. «Produtos Viarco». lojaonline.viarco.pt/. Consultado em 8 de Setembro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]