Vila Ipojuca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vila Ipojuca
Vilaipojuca.jpg
Bairro de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Fundação: 1921
Imigração predominante: Leste Europeu
Distrito: Lapa
Subprefeitura: Lapa
Região Administrativa: Oeste

Vila Ipojuca é um bairro de classe média da região oeste de São Paulo, de origem operária e que ainda carrega fortes traços originais. Pertence ao distrito da Lapa e administrado pela Subprefeitura da Lapa. Em virtude da industrialização de São Paulo e das proximidades com as estradas de ferro Sorocabana e Santos Jundiaí, a Lapa como um todo cresceu e passou a receber mais imigrantes logo após a I Guerra Mundial. Dessa forma, a partir de 1921 os primeiros loteamentos na área foram vendidos. Seu conjunto de colinas e pequenas várzeas com córregos oferecia até meados dos anos 1930 água límpida e farta. Assim como a Vila Anastácio, a Ipojuca foi fortemente ocupada por imigrantes do leste europeu, em especial húngaros. Teve times de futebol formados só por "hungareses", como se autodenominavam. Atualmente, sua paisagem original sofre grandes fraturas com o assédio do mercado imobiliário. Seus moradores antigos lutam por preservar a identidade do bairro.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O termo "Ipojuca" vem do dialeto tupi, yapó-yuca, que significa riacho ou brejo. Os primeiros arruamentos foram abertos por Luis Pereira de Queirós, o mesmo contratou um topógrafo de Pernambuco, que viu algumas semelhanças com sua terra natal. Logo depois, a Vila Ipojuca crescia com a chegada de Imigrantes dos Bálcãs, italianos, espanhóis e brasileiros vindos do campo e de outras partes do país dispostos a deitar raízes na área remota da Lapa, pegada ao Espigão Central geológico paulistano, onde as colinas e as várzeas, como terrenos alagáveis formam conjunto topográfico bem trabalhado pelos primeiros moradores do bairro.[2]

O bairro abriga o ponto de ônibus mais antigo em funcionamento da cidade de São Paulo. Situado na praça Cel. Cipriano de Morais, o abrigo de passageiros que é um dos símbolos da região, tem estrutura de concreto, teto abaulado e seis pilares em V. Foi construído na década de 50 pela Companhia Municipal de Transportes Coletivos, que operava linhas de ônibus e gerenciava o sistema até 1995. Atualmente, o ponto passa por um processo de preservação e tombamento como ícone da história de São Paulo.[3]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Fonte: Subprefeitura Lapa