Vimala Devi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vimala Devi
Nome completo Teresa da Piedade de Baptista Almeida
Nascimento 1932 (85 anos)
Penha de França, Goa
Nacionalidade Portuguesa
Ocupação Contista, Poeta, Tradutora

Vimala Devi é o pseudónimo literário de Teresa da Piedade de Baptista Almeida, escritora e poetisa portuguesa nascida em Goa Índia em 1932, sendo sua obra marcada inicialmente pelo Simbolismo de Camilo Pessanha e posteriormente pelo Modernismo de Fernando Pessoa e, finalmente, pelo Concretismo brasileiro e pelo Surrealismo. [1][2][3]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Prosa[editar | editar código-fonte]

  • Monção Lisboa: Dédalo, 1963 (Lisboa: Escritor, 2003)

Tradução:

  • Musono: novelaro Skövde: Al-fab-et-o, 2000. (em Esperanto)
  • Monsó. Vilanova i La Geltrú: El Cep i La Nansa, 2002) (em Catalão)


  • A Cidade e os Dias. Lisboa: Leitor, 2008

Tradução:

  • La Ciutat i els Dies. Vilanova i La Geltrú: El Cep i La Nansa, 2008) (em Catalão)

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Súria: poemas Lisboa: Agência-Geral do Ultramar, 1962.
  • Hologramas Coimbra: Atlântida Editora, 1969
  • Telepoemas Coimbra: Atlântida Editora, 1970
  • Hora. El ojo de Polifemo, Barcelona, 1991. (em Espanhol).
  • Rosa secreta. El ojo de Polifemo, Barcelona, 1992. (em Espanhol).
  • El temps irresolt. L'ull de Polifem, Barcelona, 1995. (em Português e Catalão).
  • Pluralogo. La Kancerkliniko, Thaumiers, 1996. (em Esperanto).
  • Speguliĝoj. La Kancerkliniko, Thaumiers, 1998. (em Esperanto).
  • Éticas-Ètiques. Vilanova i La Geltrú: El Cep i La Nansa, 2000. (em Português e Catalão).

Obras de referência[editar | editar código-fonte]

  • A Literatura Indo-Portuguesa (Manuel de Seabra), Lisboa: Junta de Investigações do Ultramar, 1971.
  • A Literatura Indo-Portuguesa 2. Antologia(Manuel de Seabra), Lisboa: Junta de Investigações do Ultramar, 1971.
  • Diccionari portuguès-català (Manuel de Seabra), Barcelona: Enciclopèdia Catalana, 1985.
Na madrugada de lágrimas e de esperança
Teu pranto é o meu
De ti vem um apelo
Dolorido e ancestral
No meu pensamento serás sempre
O eterno sonho luso
Comunhão de mosteiros e pagodes
------------------------------------
On this morning of tears and of hope
Your lament is mine
From you comes a call
Pained and ancestral
In my thoughts you will always be
The eternal Portuguese dream
Communion of monasteries and pagodas
Vimala Devi: "Goa"

Referências

  1. Machado, Everton. "A literatura goesa de língua portuguesa" in Cronópios 16/07/2006
  2. Dias, Filinto Cristo. Esboço da história da literatura indo-portuguesa. Bastorá (Goa), 1963
  3. Neves, Mauro.A poesia de Vimala Devi. Bulletin of the Faculty of Foreign Studies, Sophia University, Tokyo, No.34. 1999.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]