Manuel de Seabra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Manuel de Seabra
Manuel de Seabra (direita) recebe a Creu de Sant Jordi (2001)
Nome completo Ernesto Manuel de Seabra Ferreira Bértolo
Nascimento 7 de julho de 1932
Lisboa, Portugal
Morte 22 de maio de 2017 (84 anos)
Barcelona, Espanha
Nacionalidade Português
Ocupação Escritor, jornalista, e tradutor
Prémios Prémio de Tradução Calouste Gulbenkian (1977)

Ernesto Manuel de Seabra Ferreira Bértolo (Lisboa, 7 de julho de 1932 - Barcelona, 22 de maio de 2017[1]), conhecido como Manuel de Seabra, foi um escritor, jornalista, e tradutor português.

Era especializado em tradução para o português de literatura catalã. Entre os livros que traduziu estão Fèlix Cucurull i Tey, Pere Calders, Salvador Espriu i Víctor Mora Pujadas, e publicou antologias de poetas catalães e contista (contos Horror Catalão, 1950).

Nasceu em Lisboa, de uma família aristocrática empobrecida, estudou história e filosofia e fez escola de atores no Conservatório de Lisboa. Devido ao seu engajamento político contra o regime de Salazar, foi preso e teve de sair de Portugal, viveu na Suécia, França e Grã-Bretanha, viveu em Londres, onde trabalhou na emissora BBC.[2] Viveu intermitentemente desde 1954 em Barcelona e Lisboa, onde foi correspondente para o Today. Também escreveu ficção e traduções da poesia de Mao Zedong e Vladimir Maiakovski, Mikhail Bulgakov e romances de Jorge Amado.[3] Em 1999 foi eleito presidente da ACEC Colegiada (Associação de Escritores de Catalunya). Membro correspondente do Instituto de Menezes Braganza, em Goa. Em 2001 o governo catalão concedeu-lhe a Cruz de São Jorge.[2]

Junto com sua esposa Vimala Devi, criou O Grande Dicionário Português-Catalão.[2]

Em português[editar | editar código-fonte]

  • Eu e o diabo (1950)
  • Cântico necessário (1954)
  • Terra de ninguém (1959)
  • O retrato esboçado (1960)
  • O fogo sagrado (1961)
  • Os sobreviventes (1965)
  • 85 poemas realistas (1974)
  • Os rios sem nome (1982)
  • A literatura indo-portuguesa (1971), com Vimala Devi
  • Os exércitos de Paluzie (1982)
  • Conheces Blaise Cendrars (1984)
  • Promessa às escuras (1994)
  • O dia em que Jesus traiu Judas (1996)
  • A reforma dos cavalos (1998)
  • Bar-Mitzvah (2001)
  • Odiai-vos uns aos outros (2003)

Em catalão[editar | editar código-fonte]

  • Els exèrcits de Paluzie (1982)
  • Coneixes Blaise Cendrars? (1984)
  • Paisatge amb figures (1986)
  • Fer senyors a la Plaça Roja (1986)
  • El dia que Jesús va trair Judes (1995)
  • Odieu-vos els uns als altres (2004)
  • Diccionari portuguès-català (1985), com Vimala Devi
  • Diccionari català-portuguès (1989), com Vimala Devi

Em esperanto[editar | editar código-fonte]

  • Antologio de portugalaj rakontoj (redactor) (1959)
  • La armeoj de Paluzie (1996)
  • Promeso en obskuro (1997)
  • La tago kiam Jesuo perfidis Judason (2001)
  • Ĉu vi konas Blaise Cendrars? (2007)

Referências

  1. «Mor l'escriptor, periodista i traductor Manuel de Seabra» (em catalão). Ara.cat 
  2. a b c «Catalan-Portuguese literary relations». 800 Anos de Literatura Catalana (em português e catalão e inglês). Institució de les Lletres Catalanes, Generalitat de Catalunya. Consultado em 23 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 26 de julho de 2008 
  3. Lusa (24 de maio de 2017). «Morreu o escritor e tradutor Manuel de Seabra, de 84 anos». Diário de Notícias. Consultado em 17 de junho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]