Vincent Massey

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Vincent Massey
18.º Governador-geral do Canadá
Período 28 de fevereiro de 1952
a 15 de setembro de 1959
Monarcas Jorge VI
Isabel II
Antecessor(a) 1.º Conde Alexander de Tunis
Sucessor(a) Georges Vanier
Dados pessoais
Nascimento 20 de fevereiro de 1887
Toronto, Ontário, Canadá
Morte 30 de dezembro de 1967 (80 anos)
Londres, Reino Unido
Alma mater Balliol College
Cônjuge Alice Massey (M. 1915, morreu em 1950)

Charles Vincent Massey (20 de fevereiro de 188730 de dezembro de 1967) foi o 18º Governador-geral do Canadá e o primeiro que nasceu no Canadá.

Vida[editar | editar código-fonte]

Massey foi o primeiro governador geral do Canadá que nasceu no Canadá após a Confederação.

Massey nasceu em uma família influente de Toronto e foi educado em Ontário e na Inglaterra, obtendo um diploma em direito e fazendo amizade com o futuro primeiro-ministro William Lyon Mackenzie King enquanto estudava na Universidade de Oxford. Ele foi comissionado nas forças armadas em 1917 para o restante da Primeira Guerra Mundial e, após um breve período no Gabinete Canadense , iniciou sua carreira diplomática, servindo em enviados aos Estados Unidos e Reino Unido. Após seu retorno ao Canadá em 1946, Massey chefiou uma comissão real sobre as artes entre 1949 e 1951, que resultou no Relatório Massey e, posteriormente, no estabelecimento do National Library of Canada e Canada Council of the Arts, entre outras agências de doação. Em 1952, foi nomeado governador-geral pelo rei George VI por recomendação do primeiro-ministro Louis St. Laurent, para substituir o visconde Alexandre de Túnis como vice-rei, e ocupou o cargo até ser sucedido por Georges Vanier em 1959.[1][2][3][4]

Em 16 de setembro de 1925, Massey foi empossado no Conselho Privado do Rei para o Canadá,  dando-lhe o estilo de The Honorable. No entanto, Massey foi mais tarde, como ex-governador geral do Canadá, com direito a ser estilizado por toda a vida com a forma superior de The Right Honorable. Ele posteriormente continuou seu trabalho filantrópico e fundou o Massey College na Universidade de Toronto e as Massey Lectures antes de morrer em 30 de dezembro de 1967.[5][6]

Lista de Obras[editar | editar código-fonte]

  • The making of a nation. Boston; New York: Houghton Mifflin company. 1928. 44 páginas 
  • Good neighbourhood: and other addresses in the United States. Toronto: The Macmillan of Canada. 1930. 362 páginas 
  • Canada in the world. Toronto: J.M. Dent & Sons. 1935. 229 páginas 
  • The sword of Lionheart & other wartime speeches. Toronto: The Ryerson Press. 1942. 117 páginas 
  • On being Canadian. Toronto: J.M. Dent. 1948. 198 páginas 
  • Things that remain. Toronto: [s.n.] 1952. 16 páginas 
  • On books & reading. Toronto: Ryerson. 1954. 12 páginas 
  • The Canadian Club of Montreal 1905–1955. Montreal: Canadian Club of Montreal. 1955. 16 páginas 
  • Uncertain sounds. Sackville, N.B.: Mount Allison University. 1957. 38 páginas 
  • Speaking of Canada: addresses. London: Macmillan. 1959. 244 páginas 
  • Canadians and their Commonwealth. Oxford: Clarendon Press. 1961. 20 páginas 
  • What's past is prologue: the memoirs of the Right Honourable Vincent Massey, C.H. Toronto: Macmillan. 1963. 540 páginas 
  • Confederation on the march: views on major Canadian issues during the sixties. Toronto: Macmillan. 1965. 101 páginas 

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. General, Office of the Secretary to the Governor (11 de junho de 2018). «Recipients». The Governor General of Canada. Consultado em 19 de fevereiro de 2022 
  2. Stewart, Andrew (2008). Empire Lost: Britain, the Dominions and the Second World War. London: A&C Black. ISBN 978-1847252449
  3. Weinberg, Gerhard L. (1980). The Foreign Policy of Hitler's Germany Starting World War II 1937-1939. Chicago: University of Chicago Press. ISBN 0-226-88511-9
  4. White, Randall (1993). Too Good to be True Toronto in the 1920s. Toronto: Dundurn Press. ISBN 9781550021974
  5. Beloff, Max (1989). Imperial Sunset Dream of Commonwealth, 1921-42. London: Macmillan. ISBN 9781349083565
  6. Graham Fry, Michael (1999). "Agents and Structures: The Dominions and the Czechoslovak Crisis, September 1938". In Igor Lukes; Erik Goldstein (eds.). The Munich Crisis, 1938 Prelude to World War II. London: Frank Cass. pp. 293–341. ISBN 0-7146-8056-7