Wagner Augusto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wagner Augusto
Cidadania Brasil
Ocupação editor

Wagner Augusto é editor e pesquisador brasileiro de histórias em quadrinhos. Em meados da década de 1970, foi editor da revista Klik da EBAL.[1] Em 1978, coordenou o "Projeto Tiras" da Editora Abril, dirigido por Ruy Perotti, o Projeto Tiras era um planejamento de um syndicate de distribuição de tiras de jornal brasileiras.[2]

Fundou na década de 1980 a editora CLUQ, dedicada principalmente à publicação de quadrinhos. Em 1996, criou, ao lado de Antônio Luiz Cagnin, a revista Phenix, dedicada a estudos da linguagem dos quadrinhos e da arte gráfica. Por causa da revista, Wagner Augusto ganhou o Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos em 1996 e, no ano seguinte, o prêmio de "grande contribuição" no 9º Troféu HQ Mix.[3][4][5][6][7]

Referências

  1. Entrevista: Franco de Rosa
  2. Nobu Chine (2014). Primaggio Mantovi - O mestre de estilo versátil. Col: Série Recordatório. [S.l.]: Marsupial Editora. pp. 63–65. ISBN 978-85-66293-21-0 
  3. Gonçalo Junior (2006). Biblioteca dos Quadrinhos. 1 1 ed. São Paulo: Opera Graphica. 352 páginas. ISBN 8589961850 
  4. «Lista completa de ganhadores do Prêmio Vladimir Herzog» (PDF) 
  5. «Portal oficial do Trofeu HQ Mix». Consultado em 26 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 20 de janeiro de 2012  «Arquivo no WebCite» 
  6. «Arquivos Incríveis: Phenix # 0, de 1996, é dedicado praticamente toda ao Angelo Agostini». Bigorna.net. 9 de agosto de 2010 
  7. «Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos». Almanaque da Comunicação. 1 de julho de 2011. Consultado em 26 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 5 de março de 2016