Wikipédia:Humor/Maldição dos administradores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nota!
O Departamento de Diversão adverte:

Esta página contém material humorístico. Ela não tem a intenção, nem deve ser usada, para qualquer pesquisa ou uso sério.
Procura algo sério? Tente Wikipedia:Navegue.

Há a suspeita que algum ser sobrenatural ataque os administradores logo após terem sido eleitos.

Há boatos entre os wikipedistas de que os administradores são propensos a uma maldição. Logo após a sua nominação como administrador, a maldição começa a manifestar-se como uma redução de edições no domínio principal e um aumento de discussões. No segundo estágio, o administrador já não edita mais os artigos e apenas participa em votações e discussões gerais. No estágio terminal, o administrador quase desaparece da Wikipédia, apenas edita ocasionalmente com contribuições mínimas. A maldição completa-se com a total ausência do administrador.

A conclusão é que bons usuários (a ponto de serem candidatos a administrador) transformam-se em usuários ausentes após a maldição. Alguns usuários alegam que não mais indicarão usuários para o cargo ou mesmo votarão a favor de alguém, para evitar o processo. Outros usuários com bastantes contribuições negam-se a virar administradores, com medo da maldição.

Alguns usuários continuam fazendo contribuições de valor, mesmo depois de administradores, e são de alguma maneira imunes aos efeitos da maldição. Contudo, a fé na filosofia wiki não parece proteger os usuários da maldição.

Há quem pense que esta situação se deva apenas ao facto de que ser administrador da Wikipédia é uma das coisas mais importantes do mundo. Pode-se mesmo dizer que será igual a ser Presidente da República ou afim. Por isso, em Portugal existe uma máxima que diz: Um homem só se realiza completamente, depois de fazer um filho, escrever um livro, plantar uma árvore e ser administrador da Wikipédia.

Ilustração[editar código-fonte]

A Maldição dos administradores faz lembrar a fábula da fonte de leite:

Era uma vez um rei muito bondoso e sábio. Para aplacar a fome das criancinhas ele decidiu criar uma fonte que jorrasse leite. Sabendo que não seria possível que naturalmente o leite brotasse na fonte decidiu que todos os súditos contribuiriam com um litro de leite.
Desta forma as pessoas também ajudariam, dando sua cota de esforço e aqueles que recebessem, no caso as crianças, aprenderiam o valor da generosidade e também que é preciso o trabalho de todos para o bem maior.
Eis que chegou o grande dia! A inauguração da fonte!!!
Mas... ao invés de leite... brotou apenas água...
O que teria ocorrido? Os Deuses estariam contra a vontade do rei? A pedra de que foi feita a fonte transmutara o leite em água? O local era amaldiçoado?
Ou será que todos pensaram: "Já que todo mundo vai levar leite, se eu levar um litro de água ninguém vai notar quando estiver diluído".

Considerações adicionais[editar código-fonte]

  • Aparentemente, não há uma maldição diferente para os burocratas.
  • Outros efeitos da maldição são desconhecidos.
  • A maldição já foi provada cientificamente.

Corolário[editar código-fonte]

  • Um dos sintomas da iminência de uma crise nervosa é a crença que o trabalho que fazemos é terrivelmente importante.
Bertrand Russell, filósofo, matemático, autor e prêmio Nobel (1872-1970)

Vítimas[editar código-fonte]

Administradores que se descobriram contaminados:
Rezem por nós para que passe logo!!

  • jic Jic.jpgrecado
  • Fernando | (0) 07:48, 31 Janeiro 2007 (UTC) -- Li essa página há mais de um ano, quando ainda não era administrador. À primeira vista pensei: "Que besteira... se um dia for administrador é óbvio que essa coisa não vai me pegar". Bem, hoje escrevo após ter abandonado há alguns dias atrás a administração: caído moralmente, sem estímulo para contribuir, desacreditando no projeto. Infelizmente, não tem mais volta. No meu caso, a Maldição acabou comigo.
  • Capitão Pirata BruxoFale, marujo! 22h43min de 15 de janeiro de 2011 (UTC)

Curados[editar código-fonte]

Cura ainda desconhecida...

Em recuperação[editar código-fonte]

Após uma cirurgia ocular fiquei mais de um ano sem poder olhar para uma telinha, ainda tenho problemas mas a teimosia é maior. Imagina ter que ler as discussões que houve nos últimos dois anos, é muito pra meus olhos. Tenham paciencia comigo um dia vou ficar curada. Mas que ela existe, tenho certeza. Jurema Oliveira 01:40, 7 Fevereiro 2007 (UTC)

Voltando do limbo... jic Jic.jpgrecado 18:51, 25 Maio 2007 (UTC)