Xanto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Xanto (desambiguação).

Xanto (em grego: Ξάνθος, Xanthos), filho de Ptolomeu, foi o último rei mitológico de Tebas[1]. Ele perdeu um duelo para Andropompo[1] ou Melanto (filho de Andropompo)[2], e depois da sua morte os tebanos adotaram a oligarquia como forma de governo[1].

De acordo com o texto bizantino Suda, houve um conflito de fronteiras entre Atenas e a Beócia. Xanto desafiou Timetes, rei de Atenas, para um duelo, que não aceitou; mas Melanto aceitou lutar por Atenas. Melanto usou de um truque sujo, e matou Xanto[2]. Pausânias também menciona que o duelo não foi uma luta justa, mas não dá mais detalhes[1]. Pelos cálculos de Jerônimo de Estridão, o duelo ocorreu em 1127 a.C.[3].

Referências

  1. a b c d Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 9.5.16 (Beócia)
  2. a b Suda, Apatouria
  3. Jerônimo de Estridão, Chronicon
Precedido por
Ptolomeu (mitologia)
Rei de Tebas
Sucedido por
oligarquia
Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.