Yohansson Nascimento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Yohansson Nascimento
Yohansson Nascimento, Londres 2012
Atletismo
Nome completo Yohansson do Nascimento Ferreira
Apelido Yo
Nascimento 25 de setembro de 1987 (35 anos)
Maceió, Alagoas
Nacionalidade brasileiro
Compleição Peso: 53kg • Altura: 1,68m
Medalhas
Jogos Paralímpicos
Ouro Londres 2012 200m T46
Prata Pequim 2008 4x100m T42-46
Prata Londres 2012 400m T46
Prata Rio 2016 4x100m T42-47
Bronze Pequim 2008 200m T46
Bronze Rio 2016 100m T47

Yohansson do Nascimento Ferreira (Maceió, 25 de setembro de 1987) é um atleta paralímpico brasileiro[1][2] da classe T46, para amputados de membros superiores. Possui cinco medalhas em Jogos Paralímpicos, sendo a principal delas a medalha de ouro nos Jogos Paralímpicos de Verão de 2012 em Londres, nos 200m. A medalha mais recente foi um bronze nos Jogos Paralímpicos de Verão de 2016 no Rio de Janeiro, representando seu país nos 100m.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Yohansson nasceu sem as duas mãos. Conheceu o atletismo apenas aos 17 anos, convidado pela Técnica Walquiria Campelo, em um ônibus em sua cidade-natal. Seu nome é uma homenagem de seus pais ao piloto sueco de Fórmula 1 Stefan Johansson.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Os Jogos Parapan-Americanos do Rio de Janeiro, em 2007, marcaram a primeira competição internacional em que Yohansson se destacou pela Seleção Brasileira. Ele deixou a capital fluminense com três medalhas de ouro - nos 100m, 200m e 400m. No ano seguinte, o alagoano disputou os Jogos Paralímpicos de Pequim-2008. Ao lado de Alan Fonteles de Oliveira, André Luiz Oliveira e Claudemir Santos, faturou a medalha de prata no revezamento 4x100m T42-46. Foi ainda bronze nos 100m T46.

Três anos mais tarde, consolidou-se como um dos principais velocistas do mundo em sua classe. No Mundial Paralímpico de Atletismo de 2011, em Christchurch, na Nova Zelândia, conquistou três medalhas: foi campeão dos 100m, com o tempo de 11s01, prata nos 200m, e bronze no revezamento 4x100m T42-46. Chegou desta maneira como um dos grandes favoritos a medalhas nos Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012.

Londres-2012[editar | editar código-fonte]

Em sua primeira prova nos Jogos Paralímpicos de Londres-2012, Yohansson correspondeu às expectativas e ficou com a medalha de ouro nos 200m, com o tempo de 22s05. Logo após a prova, o atleta surpreendeu o mundo e mostrou um cartaz em que pedia sua então namorada, Thalita, em casamento. O atleta seguiu sua campanha vitoriosa na Paralimpíada britânica com o segundo lugar e a prata nos 400m, que percorreu em 49s21.

Yohansson era favorito à conquista da medalha de ouro nos 100m, tendo quebrado o recorde mundial da distância na semifinal. Contudo, logo na largada da disputa final ele rompeu o músculo do quadríceps da perna direita. Chorando, Yohansson percorreu a distância e cruzou a linha de chegada depois dos rivais, mas aplaudido pelo público do Estádio Olímpico de Londres.

Rio-2016[editar | editar código-fonte]

No caminho para os Jogos Paralímpicos do Rio-2016, Yohansson conquistou diversas medalhas em Campeonatos Mundiais. Em Lyon-2013, ele ficou com o ouro novamente nos 200m, além de uma prata no revezamento 4x100m T42-46 e bronze nos 100m. Dois anos mais tarde, no Mundial de Doha-2015, ele faturou o título dos 200m pela segunda vez consecutiva e foi medalhista de prata nos 0,1km.

Nos Jogos do Rio, no entanto, os 200m da classe T47 não foram incluídos no programa de provas do atletismo. Mesmo assim, Yohansson fez a sua melhor marca pessoal nos 100m, com 10s75, e ficou com a medalha de bronze. Nesta prova, ele foi superado pelo compatriota Petrúcio Ferreira, que estabeleceu o novo recorde mundial da prova (10s57), e pelo polonês Michal Derus. Yohansson ainda obteve a medalha de prata no revezamento 4x100m T42-47, ao lado de Petrúcio, Alan Fonteles e Renato Nunes.

Referências

  1. «Alagoano venceu a segunda bateria com grande performance». Gazeta Web. O Globo. 11 de setembro de 2016. Consultado em 11 de setembro de 2016 
  2. Alves, Márcio (11 de setembro de 2016). «Yohansson Nascimento fica com o bronze em dobradinha com Petrúcio Ferreira». Alagoas 24h. Consultado em 11 de setembro de 2016 
  3. «Dobradinha! Petrúcio Ferreira leva ouro; Yohansson Nascimento fica com bronze nos 100m T47». Extra. O Globo. 11 de setembro de 2016. Consultado em 11 de setembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]