Água-forte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde Dezembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Seleção de diversos trabalhos da técnica no Museu Britânico.

Água-forte é uma modalidade de gravura que é feita usando uma matriz, normalmente de ferro, zinco, cobre, alumínio ou latão.

A matriz é uma placa metálica, onde é gravado um desenho ou uma impressão fotográfica. O papel é levemente umedecido e a impressão pode ser monocromática (tradicionalmente) ou a cores.

Definição[editar | editar código-fonte]

O termo foi usado até o século XVII para designar o ácido nítrico diluído em água. Por ser usado num dos processos da calcografia, em que a imagem obtida na impressão é fixada sobre uma chapa metálica, após a corrosão dos traços do artista pelo ácido nítrico, o termo passou a designar, além do processo, a matriz usada para a impressão da gravura e a própria gravura, já concluída.

O processo se dá a partir do revestimento da chapa - que pode ser de ferro, cobre, alumínio, zinco ou latão - com um verniz de proteção, seguido da incisão do desenho que se deseja obter, com estilete ou outra ferramenta de ponta metálica, ou através de impressão fotográfica. Dessa forma, o desenho aparece onde o verniz foi retirado, sem arranhar o metal, permitindo a ação do ácido, que forma os sulcos em que a tinta será colocada. O tempo do mergulho no ácido pode definir tonalidades diferentes e o processo pode ser repetido inúmeras vezes.

O método da água-forte pode ser combinado com outros processos de gravura, em particular a ponta seca, mas difere de todos os outros por ser o único em que a gravação é totalmente feita pela ação dos ácidos.

À precisão da técnica do buril, a água-forte contrapõe a espontaneidade da linha, que traz para a imagem impressa o ar de desenho. Rembrandt (1606 - 1669) é considerado um dos maiores água-fortistas da história da arte, associando frequentemente a água-forte à ponta seca. Recorrem também à água-forte Albrecht Dürer (1471 - 1528), Lucas van Leyden (ca.1494 - 1533), Parmigianino (1503 - 1540), dos primeiros italianos a produzir águas-fortes originais a partir de seus próprios projetos e Francisco de Goya (1746 - 1828), destacando-se a famosa série, Os Caprichos, publicada em 1799, e O Gigante, c. 1820, entre outros.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre arte ou história da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.